A chapa única “Política”, que disputou em 8/8 a eleição para a diretoria da Associação dos Pós-Graduandos da USP “Helenira Preta Rezende”, foi eleita com 493 votos válidos. Houve também 47 votos em branco e 21 nulos, num total de 561 votos. A entidade vem experimentando um processo de consolidação e expandindo sua presença nas unidades de ensino da capital e do interior.

A direção, reeleita, é composta por Álvaro Pereira (FD), Aramys Silva dos Reis (ICB), Bruno Carvalho (FFLCH), Dante Peixoto (EESC), Fábio Cunha Lofrano (EP), Haydée Svab (EP), Helder Rossi S. Souza (FFLCH), Isaac de Matos Ponciano (Esalq), Joaquim Alves Silva Jr. (IEE), Luiz Gustavo da C. Soares (FFLCH), Maria Laura Louzada (FSP), Natália Mello (FFLCH), Paulo Yasha (FFLCH), Polly Rosa (ECA), Renan Quinalha (IRI), Ruby Rudy Arellano (IEE), Tatiana Pavão (IEE), Tomás C. A. Marques (Prolam), Thiago Costa de Paiva (EP) e Vanessa Simon (EACH)

A APG atua com o DCE e a Adusp em diversas lutas, como as que envolvem a implantação de cotas na USP e a democratização da universidade. “Neste ano teremos um grande embate, que será a definição de critérios para desligamento de programas da Pós no Conselho de Pós-Graduação, por causa do novo Regimento da Pós-Graduação, ao qual nos opusemos. Nossa expectativa é conseguir levar forças-tarefas para os cursos para entender as circunstâncias específicas da pesquisa em cada um e evitar uma padronização produtivista nesses critérios, que desrespeite as especificidades de cada cultura de pesquisa dos programas”, declarou o diretor Luiz Gustavo Soares ao Informativo Adusp.

 

Informativo nº 367

A pedido do reitor, tropa de choque da PM agride manifestantes

Ato de repúdio à violência institucional e policial na USP

Discussão sobre a aposentadoria dos docentes - parte 1/2

Discussão sobre a aposentadoria dos docentes - parte 2/2