A chapa “Primavera” obteve 3.983 votos (50,8% do total) e elegeu-se para dirigir o Diretório Central dos Estudantes (DCE-Livre) da USP “Alexandre Van­nuc­chi Leme”, em eleição realizada nos dias 12, 13 e 14 de abril. Concorreram dez chapas e ao todo votaram 7.839 eleitores.

 

As mais votadas entre as demais chapas foram “USPinova”, com 1.582 votos (20,1%) e “Todas as Mãos”, com 908 (11,6%). As eleições deste ano apresentaram uma redução no número de votantes, em relação a 2015, que teve 8.994 votos. Desta vez foram 1.155 eleitores a menos, registrando uma queda de 12,8%.

Entre as pautas discutidas na campanha eleitoral do DCE estavam a luta pela adoção de cotas raciais e sociais e o combate às medidas de desmanche adotadas pela gestão M.A. Zago-V. Agopyan: os cortes de bolsas de permanência e pesquisa, a desvinculação dos hospitais universitários, a flexibilização do regime de trabalho docente, o Programa de Incentivo à Demissão Voluntária (PIDV).

Conjuntura

A aguda conjuntura política nacional foi outro assunto intensamente discutido pelos postulantes ao DCE. E o fim da proibição de festas determinada pela Reitoria tornou-se uma bandeira que conquistou a unanimidade das chapas.

Novidades deste processo eleitoral foram a participação de estudantes de cursinhos populares da USP entre os eleitores (conforme deliberado no XII Congresso de Estudantes da USP) e o aumento do percentual mínimo de mulheres nas chapas, dos anteriores 30% para 50%. Também vigorou um percentual mínimo de 12% de estudantes negras e negros nas chapas concorrentes.

No dia 30/4, às 9 horas, ocorrerá o Conselho de Centros Acadêmicos, na Faculdade de Saúde Pública, quando deverá tomar posse a nova gestão do DCE. O evento é aberto a todos os estudantes.

Informativo nº 417

Discussão sobre a aposentadoria dos docentes - parte 1/2

Debate: A quem serve a Base Nacional Comum Curricular?

Debate sobre Conjuntura Nacional - 20/9/2018

Debate sobre Conjuntura Nacional - 26/9/2018