Cotas

  • Apoiar o Projeto de Lei apresentado pela Frente Pró Cotas e outros movimentos sociais, em tramitação na ALESP, com adendo em relação à população indígena (reserva de 2 vagas por curso, por período);
  • No âmbito interno, lutar para que a Legislação  Federal relativa a cotas seja aprovada no Co;
  • Encaminhar o detalhamento de propostas complementares para discussão na próxima assembleia da Adusp;

Continuidade do Movimento

  • Manter a greve, com nova assembleia geral na próxima 2ª feira, 27/6, às 16h00, no Auditório da Geografia;
  • Reiterar, nas unidades, o convite para que mais colegas participem das atividades de greve desta semana (ver calendário da Comissão de Mobilização, abaixo);
  • Manifestação de repúdio contra a ação da PM no campus Butantã na noite de 16/6/2016;
  • Manifestação de repúdio ao corte de ponto e consequente desconto nos salários de servidores em greve;
  • Pauta comum às três categorias da USP a ser entregue ao Reitor durante ato do dia 22/6/2016;
  • Apoio à negociação da próxima 6ª feira, 24/6, entre funcionários e reitoria via COPERT, relativa ao corte de ponto e desconto nos salários dos servidores em greve. (Representante da Adusp acompanhará a reunião na condição de observador)
  • Remeter para discussão nas assembleias setoriais , que deverão ocorrer antes da próxima assembleia geral, todas as propostas apresentadas na assembleia de 21/06, a saber:
  1. Não entrega dos boletins de notas (conversar com os colegas que não aderiram à greve no sentido de que retenham suas notas, como forma de apoio ao movimento);
  2. Organização de atividades inter unidades visando a aprofundar a  discussão sobre o processo de desmonte da USP, em especial no que se refere à Carreira Docente, Avaliação, HU, Creches, entre outros;
  3. Elaboração de vídeos curtos, que deverão ser disponibilizados na Internet, sobre a gravidade da situação financeira das Universidades Públicas Paulistas e o significado e consequências do processo de desmonte a que vêm sendo submetidas;
  4. Indicativo de suspensão da greve, com a perspectiva de continuidade da luta contra o desmonte da Universidade a partir do início do 2º semestre;
  5. Indicativo de greve em agosto pela retirada da proposta de Estatuto dos docentes e nova CPA