foto: Daniel Garcia

O Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), na negociação iniciada às 15 horas desta quinta-feira com o Fórum das Seis, ofereceu um reajuste salarial de 1,5%. Esse índice não cobre sequer a inflação do período referente à data base. “O Cruesp não só propõe um índice insignificante como se recusa a oferecer qualquer perspectiva”, declara a coordenação do Fórum das Seis.

As categorias representadas pelo Fórum das Seis reivindicam um reajuste que recupere o poder aquisitivo de maio de 2015, com base no ICV-Dieese. Até março (ou seja: sem incluir a inflação de abril), esse índice estava em 12,62% para USP e Unicamp e 15,99% para a Unesp (que não pagou os 3% concedidos pelo Cruesp em 2016).

Nota do Cruesp submete reajuste aos “respectivos conselhos universitários”

Ao final da negociação com o Fórum das Seis, o Cruesp emitiu o Comunicado 01/2018, no qual anuncia que, “em um esforço para atenuar as perdas salariais ao longo dos últimos doze meses”, propôs reajuste dos salários dos docentes e servidores técnicos e administrativos “em 1,5% a partir de maio do corrente”. Em seguida, porém, retomando a prática iniciada pelo então reitor M.A. Zago, emenda: a aplicação do reajuste “está sujeita à homologação no âmbito dos respectivos Conselhos Universitários, onde pertinente”.

A seguir, a íntegra da nota:

 

São Paulo, 17 de maio de 2018

 

Considerando o cenário de instabilidade da economia brasileira e a situação atual por que passam as universidades, o Cruesp, em um esforço para atenuar as perdas salariais ao longo dos últimos doze meses, em reunião realizada nesta data com o Fórum das Seis, propôs reajuste dos salários de docentes e servidores técnicos e administrativos das Universidades Estaduais Paulistas em 1,5% a partir de maio do corrente.

A aplicação do disposto neste comunicado está sujeita à homologação no âmbito dos respectivos Conselhos Universitários, onde pertinente.

Consciente de que o índice proposto não repõe as perdas salariais, o Conselho de Reitores envidará todos os esforços institucionais possíveis de recuperação salarial tão logo as condições econômicas permitam”.

 

Vahan Agopyan

Presidente do Cruesp
Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas