O presidente da Adusp, professor Rodrigo Ricupero, participou de dois dias de atividades no câmpus de Ribeirão Preto da USP, acompanhado da diretora regional da associação, professora Annie Schmaltz Hsiou. Na tarde de 10/4 eles se reuniram com docentes da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) e na manhã de 11/4 com docentes da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP).

Mirophotos

Entre os tópicos abordados nas reuniões destacaram-se a política de avaliação implantada pela Reitoria (“Nova CPA”), a reforma da Previdência (PEC 06/2019) e a perda de professores. “Nos últimos dois anos da gestão Zago houve apenas cerca de 30 concursos. Perdemos 500 docentes ao longo da gestão. Agora o déficit já chega a 600 docentes. Em 2019 tivemos [até o momento] 47 aposentadorias, contra apenas 14 contratações”, afirmou Ricupero.

Um dos pontos abordados foi a questão das perdas salariais acumuladas desde 2015, que já são da ordem de 15%, e a necessidade de derrotar a política de arrocho salarial praticada pela Reitoria. “Estamos pagando pela política de austeridade fiscal”, disse o professor Ricupero. “No ano passado propusemos aos reitores um plano de recomposição. Fingiram que não ouviram, porque aplicam uma política de arrocho salarial. No entanto, como o comprometimento da receita com a folha salarial caiu 20 pontos percentuais na USP, de 105% em 2014 para 85,9% em 2019, existe espaço para uma recomposição dos salários”.

Em fevereiro último o presidente da Adusp retomou a série de visitas às unidades iniciadas no ano anterior, de modo a aumentar o diálogo com a categoria. Foram realizadas reuniões na Escola de Enfermagem (EE) em 20/2, no Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Fofito) da Faculdade de Medicina (FM) em 27/2, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) em 20/3, na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) em 25/3 e no Instituto de Química (IQ) em 1o/4.

Novas reuniões estão agendadas para abril e maio, a maioria delas nos campi do interior: Bauru (23/4), Pirassununga (24/4), São Carlos (25/4), Faculdade de Saúde Pública (26/4) e Piracicaba (8/5).