No dia 9/8/2018, ocorreu no vão livre do prédio da História e Geografia da USP o ato "Lula Livre Pela Democracia" convocado para as 17h30. A diretoria da Adusp foi convidada para participar e tomar a palavra nesse evento por email (lulalivreusp@gmail.com) encaminhado para a secretaria da Adusp.
 
Como de praxe, esse convite foi objeto de apreciação pela diretoria da entidade que embora reconheça a seletividade da justiça e a forma persecutória com que o judiciário tem tratado o ex-presidente Lula, decidiu por não participar do evento, conforme exposto no texto da resposta eletrônica enviada pela Secretaria da Adusp à mensagem do convite:
 
"Caros colegas,
Em primeiro lugar agradecemos o convite e reiteramos nosso entendimento que é plenamente legítimo e democrático que vocês organizem o Ato em defesa da liberdade e da candidatura de Lula.
Registramos ainda que em nosso entendimento da forma como o Ato foi organizado a liberdade, o direito a candidatar-se e o apoio à candidatura de Lula são indissociáveis, como fica patente nos materiais de divulgação do ato no Facebook, e, dessa forma, a diretoria da Adusp para manter a tradição de nossa entidade de independência dos governos, partidos e candidaturas decidiu pela não participação da Adusp no ato, sem prejuízo que os seus diretores, que assim o entenderem, o façam em caráter pessoal."
 
Abaixo, o texto do convite recebido pela Adusp:
"Convite
 O comitê Lula Livre da USP vem por meio desta convidar a diretoria da ADUSP a participar e tomar a palavra no ato público "Lula Livre pela democracia e a autonomia universitária" que se realizará no dia 9 de agosto das 17h30 às 20h no prédio da História e Geografia. Nesta ocasião diversas entidades e personalidades democráticas também convidadas devem tomar a palavra.
Como afirmar o manifesto da comunidade USP pela democracia e a liberdade de Lula, que é a base deste chamamento ao ato público:
"O movimento dos docentes com a comunidade da Universidade de São Paulo tem se posicionado, desde suas origens, pela ampla defesa das liberdades democráticas. Diante do atual processo que o país vive, caracterizado por avanços de um verdadeiro estado de exceção que ameaça mesmo as universidades, temos expressado repetidas vezes preocupação e repúdio contra o crescimento da violência estatal e paraestatal. Assim foi por ocasião dos assassinatos de Marielle Franco e de Anderson Gomes, e de diversos fatos de violência institucional e cerceamento de direitos. Nesse contexto, somos solidários com o sentimento de amplos setores da população de que o ex presidente Lula da Silva é objeto de um processo eivado de arbitrariedades por parte de uma justiça seletiva, com o objetivo de impedir sua candidatura nas próximas eleições nacionais e facilitar a retirada de direitos econômicos e sociais da maioria da população. Portanto, e independente da avaliação que caiba a cada um sobre a trajetória política do ex presidente Lula, nos manifestamos e apoiamos as iniciativas democráticas pela sua imediata libertação e contra sua proscrição política."
Esperamos contar com a participação da ADUSP, representante legítima dos docentes da USP no momento em que as liberdades democráticas e os direitos sociais do conjunto da população são violentamente ameaçados, em que diferentes representações políticas legítimas da classe trabalhadora são bloqueadas por manobras jurídicas, em que a própria universidade pública e a liberdade nela contida são colocadas em questão.
 Saudações fraternas"