Uma tragédia ocorrida na Raia Olímpica da USP em 19/2 trouxe à tona novas vinculações entre público e privado na universidade. Questionado pela Reitoria, por solicitação da Adusp relacionada à publicação de nota sobre o afogamento de um esportista, o Cepeusp acaba de admitir que tem contrato firmado com “quatro instituições esportivas, possibilitando o desenvolvimento dos esportes remo e canoagem”, a saber: Corinthians, Esporte Clube Pinheiros, Clube Bandeirante e Clube Athlético Paulistano.

Como já mencionado no Informativo Adusp 377, p. 5, uma nota publicada pela Folha de S. Paulo afirmou: “O Corinthians é o responsável pela raia olímpica” (“Empresário morre afogado durante aula em raia da USP”, 20/2/14, p. C3). A Adusp solicitou informações à Reitoria. O chefe de gabinete, professor José Drugowich, enviou à Adusp as explicações que lhe foram dadas pelo diretor do Centro de Práticas Esportivas (Cepeusp), professor Carlos Bezerra de Albu­quer­que, o qual informou, por ofício, que os quatro clubes “têm direito à utilização das seguintes dependências da Raia Olímpica da USP: garagem de barcos; barco-escola; dois vestiários”.

O diretor do Cepeusp declarou ainda, no ofício enviado à Reitoria, que “cabe às instituições a manutenção” de tais equipamentos, “além do controle de inscrições, frequências, aulas, treinos, testes de natação, avaliações físicas e avaliações médicas dos seus alunos e atletas”. Acrescenta que, “no caso específico” do aluno Everaldo Miranda, do Corin­thians, “reforçamos que a res­pon­sabilidade pelo atendimento ao aluno é do referido clube”.

Em seguida, porém, Albuquerque conclui com a afirmação de que “é inverídica e absur­da a informação de que o Corin­thians é o responsável pela Raia Olímpica”, e que tal responsabilidade “pertence ao Cepeusp”.

Preocupantes

A Adusp considera incompletas e preocupantes as informações fornecidas pelo diretor do Cepeusp. Assim, oficiou ao chefe de gabinete solicitando dados complementares, inclusive cópias dos contratos de utilização das dependências da Raia Olímpica da USP firmados com aquelas instituições, indagando se foram submetidos à aprovação das instâncias competentes da universidade. Pede ainda cópias das atas de reuniões nas quais se deliberou sobre o assunto.

Na correspondência enviada ao professor Drugowich, a Adusp solicita também que a Reitoria esclareça em que legislação ampara-se o diretor do Cepeusp para concluir que no caso “do acidente envolvendo o aluno ... a responsabilidade pelo atendimento é do Clube”.

Por fim, a Adusp indaga quais providências foram tomadas pela USP para retificar o teor da notícia publicada pela Folha de S. Paulo, uma vez que o professor Albuquerque a considerou “inverídica e absurda”.

Informativo nº 379