Na volta às aulas, os freqüentadores do restaurante do Clube dos Professores, no campus Butantã, foram recebidos com um aumento no preço das refeições. O valor pago pelo bufê completo passou de R$ 12,50 para R$ 16,00 — uma alta de 28%.

O aumento incomodou docentes que costumam almoçar no local. É o caso do professor Ademar Ferreira (EP), para quem “no mínimo deveriam ser dadas explicações, mostrando os custos, para justificar esse aumento, que é grande”. O professor afirma que ele e outros colegas passaram a evitar o almoço no Clube, em razão do aumento.

Outra docente que passou a ir menos ao Clube é a professora Maria José Bechara (IF), que considerou a majoração “exorbitante”. “Eu parei de freqüentar, normalmente tenho evitado”, afirma ela.

Para o professor Flávio Finardi (FCF), porém, o aumento “não é abusivo, você tem que considerar também que é um lugar onde todos têm um bom atendimento”.

Finardi acredita que o descontentamento deve-se ao fato de haver uma única opção para o usuário: “É um preço fixo, e tem gente que se sente explorada porque come menos”. Até 2006, o Clube oferecia também um bufê só de saladas, a um preço menor.

A coordenadora do Coseas, professora Rosa Godoy, afirma que o aumento teve como motivo a “desatualização dos preços” e foi adotado “levando-se em conta os novos gastos com matéria prima, os novos contratos com os fornecedores”.

 

Matéria publicada no Informativo nº 242