A Reitoria da USP tem insistido em tratar os serviços realizados pelas creches (Central, Oeste, São Carlos, Saúde e “Carochinha”) como não sendo atividades-fim, mas sim exclusivamente atividades-meio; e, com isso, tenta isentar-se da responsabilidade por tais atividades essenciais. Contradição pura.

No portal digital da Superintendência de Assistência Social (SAS), qualquer pessoa que acesse a Divisão de Creches encontrará o seguinte:

A Divisão de Creches tem, como um de seus objetivos, também oferecer campos de estágios e pesquisa, recebendo estudantes, mestrandos, doutorandos, que vêm conhecer o trabalho realizado nas creches, buscar informações e realizar coletas de dados para seus trabalhos. Os projetos são analisados e autorizados pelas equipes diretoras das creches e Chefia Técnica da Divisão de Creches, desde que não tragam nenhum tipo de prejuízo para as crianças. Inúmeros artigos, teses e pesquisas já foram realizados acerca do trabalho feito nas creches e pelas creches.

Além disso as creches recebem muitos profissionais, a maioria da área da educação, que vêm para visitas monitoradas e para conhecer o que as creches pensam e fazem.

Portanto, como reconhecido pela própria Universidade, entre os objetivos das creches figura claramente o de oferecer e subsidiar relevantes atividades acadêmicas de estágio e pesquisa relacionadas à educação infantil. Tal fato certamente foi levado em conta pelo Conselho Universitário (Co) quando decidiu, por maioria, garantir a continuidade das creches, na contramão do desmonte pretendido pela Reitoria. Na reunião do Co que definiu as Diretrizes Orçamentárias de 2017, os conselheiros aprovaram como item 5 das Diretrizes Gerais: Preencher as vagas ociosas no limite da capacidade das creches da USP.

Contudo, em 16/1, em pleno período de férias, por ordem da Reitoria, a Divisão de Creches enviou comunicado lacônico aos funcionários da Creche/Pré-Escola Oeste informando que de 17/1 a 20/1 seria realizada a transferência de seus equipamentos, materiais e mobiliários para a Creche/Pré-Escola Central no campus da Cidade Universitária.

O desmonte das creches, que vem sendo adotado sem nenhuma discussão prévia, segue agora num patamar absolutamente desrespeitoso em todos os seus sentidos.

É inaceitável que a Reitoria da USP descumpra a diretriz sobre as creches aprovada pelo Co. É revoltante seu completo descaso para com as trabalhadoras e os trabalhadores da Creche/Pré-Escola Oeste e as famílias ali atendidas!

 

São Paulo, 17 de janeiro de 2017

Diretoria da Adusp


Leia também a nota divulgada pela Ocupação Creche Aberta.