O Fórum das Seis emitiu nota de solidariedade ao professor Juarez Xavier, do campus de Bauru da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), que no dia 20/11 sofreu uma agressão de teor racista. Após ser chamado de “macaco”, o docente do curso de jornalismo da Unesp reagiu ao ofensor, que usou um canivete contra Juarez, ferindo-o no ombro direito e no braço esquerdo. O agressor foi preso e posteriormente liberado.

A nota do Fórum das Seis, subscrita também pela Adusp, intitulada “Solidariedade ao Professor Juarez Xavier. Barbárie racista deve ser rejeitada e seus perpetradores responsabilizados!” e reproduzida a seguir, denuncia a existência de um apartheid no Brasil e lembra que o incidente ocorreu em pleno “Dia da Consciência Negra”:

O Fórum das Seis vem a público repudiar com veemência o crime de racismo cometido contra o Professor Juarez Xavier, da FAAC/Unesp, campus de Bauru. Em pleno 20 de novembro, dia consagrado à memória e à celebração da luta do povo negro, o docente foi vítima de xingamentos racistas em local público da cidade. Ao reagir e protestar contra o ataque, foi agredido com golpes de canivete. Prontamente atendido, felizmente o professor passa bem. Mas é preciso impedir que este crime seja banalizado e esquecido.

A agressão a qualquer pessoa, motivada por sua condição étnico-racial, avilta valores civilizatórios mais fundamentais. O apartheid brasileiro, que tem existência de fato, deve ser combatido em todas as suas manifestações. A agressão perpetrada contra o docente da Unesp, infelizmente, nos adverte que ainda estamos longe de patamares básicos de convivência social e de respeito humano aceitáveis num ambiente minimamente democrático.

Expressamos aqui nossa total solidariedade ao Professor Juarez Xavier e nosso mais veemente repúdio ao ataque racista a ele dirigido, ao mesmo tempo em que instamos o judiciário estadual a tomar todas as providências no sentido de assegurar que os perpetradores desta barbárie sejam responsabilizados civil e criminalmente pelos atos que cometeram.

Para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça!

 

Manifestação da Diretoria da Adusp à sociedade brasileira

A Diretoria da Adusp manifesta publicamente o seu veemente repúdio ao caso de racismo praticado contra o professor Juarez Tadeu de Paula Xavier, docente da Unesp, no dia 20 de novembro, em Bauru/SP.

O professor Juarez tem desenvolvido um trabalho importante na implementação de cotas raciais na Universidade, organizando mecanismos de verificação e combate a eventuais fraudes, coordenando o Núcleo de Afrodescendentes da Unesp, entre outras atividades referentes a políticas de ação afirmativa. Além disso, o professor Juarez é também um militante histórico do movimento negro brasileiro.

A Diretoria da Adusp exorta as autoridades competentes a providenciar o imediato julgamento do agressor, bem como presta todo o apoio político ao professor Juarez, esperando que a solução justa para este ato criminoso seja exemplar para o conjunto da sociedade brasileira – e que isto nunca mais aconteça!

 

São Paulo, 25 de novembro de 2019