• Realizar assembleias setoriais até 8 de outubro, discutindo a possibilidade de promover um dia de paralisação como forma de enfrentamento das políticas adotadas pela gestão M.A.Zago-V.Agopyan, que desmontam a universidade e reiteram a falta de democracia na estrutura de poder da USP (entre outras, GT-AD, CERT, Comissão para “analisar e propor alterações estatutárias e regimentais”, HU, creches)

  • Nova Assembleia Geral (AG) no dia 8 de outubro, quinta-feira, das 17h00 às 19h30, no Anfiteatro da Geografia/FFLCH.