1. "Nova CPA" e "Estatuto do Docente"

  • Avaliar a possibilidade entrar com representação junto ao Ministério Público contra as deliberações do Co de 8/11/2016, referentes à "Nova CPA" e ao "Estatuto do Docente";
  • Publicar quadros contendo as votações nessa reunião do Co;
  • Denunciar a postura da Reitoria e a subserviência de parte dos membros do Co;
  • Caracterizar as votações como derrota da Reitoria, face à manobra visando a redução do número de votos necessários para aprovação das mudanças, fruto das denúncias da Adusp;
  • Promover debate com juristas sobre "a transformação de mudanças estatutárias em mudanças regimentais", com o intuito de reduzir o número de votos necessários para aprovação. Convidar a Procuradoria Geral da USP.
  • Usar o vídeo dessa reunião do Co, destacando os momentos mais importantes.

2. Caso Comunitas/McKinsey

  • Elaborar um panfleto sobre o caso para ser distribuído a estudantes, funcionários e docentes;
  • Explorar o fato de que a Reitoria só veio a se pronunciar sobre o caso após as denúncias da Adusp.
 

3. Moções

  • Moção de agradecimento a estudantes e funcionário, membros do Co, por suas contundentes manifestações, que explicitaram meandros e manobras nessa reunião;
  • Moção de apoio aos servidores públicos do estado do Rio de Janeiro;
  • Moção de desagravo aos conselheiros agredidos e desrespeitados pelo reitor.
 

4. Conjuntura Nacional

  • Convidar a categoria a participar de ato convocado pelas Centrais Sindicais, como parte da Jornada de Lutas contra a PEC 241 (atual PEC 55), contra as reformas trabalhista e da Previdência e pelo direito de greve, em 11/11, às 17h, na Praça da Sé. Local do encontro da Adusp: Praça da Sé, esquina com a Rua Senador Feijó.
 
5. Delegação para o 36º Congresso do Andes-SN (janeiro de 2017):
  • Ana Luiza J. da Costa (FE), Andrés Vercik e Sérgio Souto (FZEA), Annie S. Hsiou (FFCLRP), Bernardo Boris Jorge Vargaftig (ICB), Ivan Struchiner (IME), João Zanetic (IF) e Márcio Moretto (EACH). Essa delegação se soma à eleita na assembleia anterior.
 
Moção de Agradecimento
Os docentes reunidos na Assembleia Geral da Adusp em 09/11/2016 manifestam seu agradecimento à atuação do representante dos funcionários técnico-administrativos Bruno Sperb Rocha e dos representantes dos estudantes, na reunião do Co ocorrida em 08/11/2016, em que, de modo contundente, explicitaram os meandros e as manobras típicas desta administração, revelando uma postura firme e qualificada diante das atitudes autoritárias do Reitor. 

Moção de apoio aos servidores públicos estaduais do RJ

A Assembleia Geral dos docentes da USP, reunida em 09/11/2016, manifesta seu  apoio aos servidores públicos do Rio de Janeiro, violentamente atacados pelo projeto de austeridade fiscal/financeira, que o governo do estado pretende implantar e que busca submeter os trabalhadores a arcar com as consequências de sucessivos desmandos governamentais.

Moção de desagravo

A Assembleia Geral da Adusp de 9/11, manifesta-se sobre a maneira como diversos membros do Conselho Universitário (Co) foram tratados pelo reitor Marco Antonio Zago durante a reunião de 8/11 do colegiado.
 
Como é notório, a Reitoria apresentou - com apenas três dias úteis de antecedência - a pauta dos temas a serem debatidos e eventualmente votados no Co. Essa pauta incluía, entre outros assuntos de fundamental importância, novíssimas versões do Regimento da "Nova CPA" e do "Estatuto do Docente".
 
As versões anteriores foram objeto de discussão em diversas unidades da USP. Várias fizeram severos reparos a seus conteúdos, sobretudo pelo caráter excessivamente centralizador, que na prática anula a liberdade acadêmica e fere a autonomia dos departamentos. Não foram poucas as unidades que rejeitaram as propostas em sua totalidade, exortando a Reitoria a abrir um debate amplo na universidade. A Reitoria ignorou o apelo, negou pedidos de retirada de pauta e de vista. 
 
Diante disso, várias vozes se ergueram nessa reunião para pedir o óbvio: que as novas propostas da Reitoria fossem discutidas com um mínimo de tempo por aqueles que serão diretamente atingidos por suas medidas. Essas incluem até mesmo processos administrativos contra colegas que venham a ser avaliados negativamente por uma comissão de apenas nove membros. Inúmeras decisões da CERT, que vêm desconsiderando pareceres dos departamentos, dão a medida da gravidade do assunto.
 
Os conselheiros que fizeram reparos, seja aos conteúdos, seja à postura da Reitoria de impedimento a uma discussão em tempo hábil, receberam do reitor um tratamento que nos deixa perplexos e indignados. Visivelmente incomodado durante a sessão, Zago chamou aqueles que pediam tempo para examinar as propostas de "procrastinadores", de gente afeita a "ladainhas" e que não sabe ou não quis ler corretamente o texto. Esses colegas foram inclusive acusados de agir com "escárnio". Tudo isso dito em tom autoritário, avesso ao contraditório.
 
Que o reitor recorra à truculência verbal e trate aqueles que discordam de suas ideias com desdém é fato já conhecido, mas desta vez seu destempero ultrapassou todos os limites.
 
Assim, a Assembleia Geral da Adusp repudia a atitude do reitor e presta integral solidariedade àqueles que foram alvo de sua violência. Expressa decidido apoio às vítimas de seu desmando.
 
Na esperança de que seja restituído um diálogo genuinamente acadêmico, na construção de uma universidade plural e pautada pelo interesse público, conclama a Reitoria a reorientar sua postura, agindo com transparência, abertura ao diálogo e respeito às opiniões divergentes. 
 
São Paulo, 9 de novembro de 2016
Assembleia Geral da Adusp