1) Em razão da gravidade da conjuntura política nacional e local, a categoria declarou-se em Assembleia Permanente;

2) A primeira Assembleia Geral de 2017 deliberará sobre o ingresso de ação judicial contra "Nova CPA" e "Estatuto do Docente";

3) A Adusp publicará, no primeiro semestre de 2017, três dossiês temáticos sobre:

  • Carreira e Avaliação Docente,
  • Hospital Universitário (HU),
  • Direito de Greve.

4) Moções aprovadas:

  • De apoio às greves contra a PEC 55/16,
  • De apoio aos estudantes do Instituto de Física sindicados por atuação política,
  • De apoio ao Centro Acadêmico da Física (Cefisma)
  • De repúdio à repressão policial às manifestações públicas no Brasil.


MOÇÃO DE APOIO ÀS GREVES CONTRA A PEC 55/2016
 
Os docentes da USP, reunidos em Assembleia Geral, em 01/12/2016, declaram seu apoio aos diferentes setores do funcionalismo público, em especial aos professores, funcionários técnico-administrativos e estudantes das Universidades Federais e Estaduais, que decretaram greve contra as aprovações da PEC 55/2016 e da MP 746/2016 do ensino médio que afetarão, profundamente, a qualidade dos serviços públicos no Brasil. 
 
Em um momento de avanço da política de ajuste fiscal e retirada de direitos sociais, civis e políticos, impõe-se a necessidade de denunciar a falácia da "crise financeira" do Estado, cuja solução propalada seria a redução dos investimentos em serviços básicos. É preciso construir a unidade das forças progressistas para defender a democracia, a liberdade de organização e o direito de greve como direito fundamental de todo trabalhador, constitucionalmente garantido. 
 
São Paulo, 01 de dezembro de 2016.
Assembleia Geral da ADUSP - S. Sindical
 

 

MOÇÃO DE APOIO AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO DE FÍSICA SINDICADOS POR ATUAÇÃO POLÍTICA 

Os docentes da USP, reunidos em Assembleia Geral, em 01/12/2016, declaram seu apoio aos cerca de 30 estudantes do Instituto de Física que estão sofrendo sindicâncias em função de sua atuação política no período da greve na USP, no primeiro semestre deste ano. 
 
A abertura de sindicância contra alunos que exerceram seu direito de organização coletiva em defesa da Universidade Pública, por meio da adesão a manifestações, protestos e/ou à direção do Centro Acadêmico é uma atitude temerária, que induz à criminalização daqueles que lutam por melhores condições de estudo e permanência estudantil, bem como da democratização do acesso ao ensino superior público. 
 
Toda e qualquer instituição educativa  tem o dever não somente de transmitir conhecimentos específicos, mas também formar cidadãos para uma sociedade democrática, na qual a liberdade de manifestação e organização coletiva sejam entendidas como um direito e não um risco à ordem estabelecida. Assim, consideramos que criminalização desses alunos é absolutamente incompatível com a função social de uma Universidade. 
 
São Paulo, 01 de dezembro de 2016. 
Assembleia Geral da ADUSP - S. Sindical
 

 

MOÇÃO DE APOIO AO CENTRO ACADÊMICO DA FÍSICA (CEFISMA)

 
Os docentes da USP, reunidos em Assembleia Geral, em 01/12/2016, declaram seu apoio ao CEFISMA que, nos últimos meses, vinha participando de um processo de negociação com a direção do Instituto de Física sobre a regularização do uso dos espaços dessa entidade estudantil, que foi abruptamente interrompido.
 
Diante da importância da organização dos estudantes, da tradição desse Centro Acadêmico, bem como de sua disposição para negociar e responder às exigências da USP para regularizar o uso dos espaços que ocupa, consideramos imprescindível que o processo de negociação acordado inicialmente siga o calendário previsto, tendo em vista a resolução dessa situação sem conflitos desnecessários.
 
São Paulo, 01 de dezembro de 2016.
Assembleia Geral da ADUSP - S. Sindical
 

 

MOÇÃO DE REPÚDIO À REPRESSÃO POLICIAL ÀS MANIFESTAÇÕES PÚBLICAS NO BRASIL

Os docentes da USP, reunidos em Assembleia Geral, em 01/12/2016, declaram seu repúdio à ação violenta das polícias civis e militares de diferentes estados brasileiros contra manifestações públicas de caráter político e/ou artístico.
 
Nos últimos meses, temos assistido à intensificação da violência policial contra manifestantes de diferentes movimentos sociais, populares, sindicais e estudantis, o que indica, claramente, uma conjuntura política e social de limitação de direitos de organização e livre manifestação constitucionalmente garantidos.
 
Nesse sentido, consideramos inadmissível e temerário que os governos estaduais e federal continuem determinando repressão violenta e desproporcional contra as manifestações que se opõem a ataques aos direitos do povo brasileiro, como a que ocorreu no dia 29/12, em Brasília, por ocasião da votação da PEC 55/2016 que trará profundos prejuízos aos serviços públicos e atendimento da população mais vulnerável.
 
São Paulo, 01 de dezembro de 2016.
Assembleia Geral da ADUSP - S. Sindical