A Assembleia da Adusp de 29/3, após examinar e debater a notícia da contratação de três coronéis da Polícia Militar pela Reitoria da USP, um deles nomeado nessa mesma data Superintendente de Segurança, decidiu expressar seu "profundo desacordo" com relação à medida. A seguir, a manifestação da Assembleia:

A Assembleia da Adusp manifesta seu absoluto espanto com a anunciada contratação, pela Reitoria, de três coronéis da Polícia Militar que assumirão funções de chefia na segurança dos campi da USP. 

Ao invés de reforçar o caráter civil, comunitário e democrático da Guarda Universitária, dando-lhe as condições materiais e intelectuais necessárias ao cumprimento de suas tarefas, a Reitoria acentua, com essa nova medida, o processo de militarização do espaço acadêmico. 

Mesmo tendo o Conselho Universitário aprovado a criação da Superintendência de Segurança, estariam os seus membros cientes da indicação do coronel Luiz de Castro Júnior para a função de superintendente de segurança? Para uma decisão de tal importância para a vida cotidiana de uma instituição pública de caráter educacional como é a USP, não seria adequado, mesmo não sendo exigência estatutária, ter ouvido a comunidade, que tomou conhecimento das contratações pela mídia?

A Assembleia da Adusp de 29/3 expressa, portanto, seu profundo desacordo com relação à contratação dos oficiais e reitera a necessidade urgente de tratar de modo democrático e amplo a questão da segurança na USP. 

Assembleia da Adusp, em 29/3/12