A aprovação dos “Parâmetros de Sustentabilidade Econômico-Financeira da USP”, na reunião do Conselho Universitário (Co) de 7/3/2017, foi ápice de um processo caracterizado pela falta de transparência nas práticas institucionais e pelo autoritarismo, marca registrada da atual gestão reitoral.

Essa proposta, que altera profundamente a vida da universidade, propondo uma drástica redução da folha de pagamento sem explicitar como alcançar tais objetivos sem comprometer a qualidade de ensino, pesquisa e extensão realizados, não foi sequer apresentada com tempo hábil para a discussão nos colegiados das unidades.

 

Tal postura já seria por si inadmissível. No entanto, o processo torna-se ainda mais ilegítimo quando a reitoria lança mão da violência policial para reprimir um ato pacífico e legítimo organizado por Adusp, Sintusp e DCE-Livre.

Para concluir esse capítulo vexatório da USP, agora a reitoria convoca o Co para votar os “destaques” feitos à proposta original, mais uma vez com menos de 3 dias úteis de antecedência.

É por tudo isso que convidamos estudantes, funcionários técnico-administrativos e docentes a participar do ato, em frente à reitoria, no dia 11/4, a partir das 12h30.

Solicitamos, ainda, que os conselheiros se pronunciem, denunciando as ilegalidades e ilegitimidades ocorridas na reunião de 7/3 e que peçam a anulação da aprovação dos Parâmetros de Sustentabilidade para que uma ampla discussão possa ser feita, primeiramente, nas unidades e, depois, nos órgãos centrais. Além disso, sugerimos que se retirem da reunião antes da votação dos destaques, para não legitimarem esse corroído processo.

É preciso resistir a mais esse ataque que fere a universidade pública e a democracia!

São Paulo, 7 de abril de 2017

Adusp, Sintusp e DCE-Livre