O dia 30/5 marcou um avanço para o movimento pró-cotas no Estado de São Paulo. Nesta data, o Conselho Universitário (Consu) da Unicamp aprovou a implementação progressiva de cotas étnico-raciais, cujos detalhes serão discuti­dos por um Grupo de Trabalho (GT) composto por membros da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), professores integrantes do Consu, representantes discentes e de servidores, assim como membros dos movimentos pró-cotas e do Núcleo de Consciência Negra da Unicamp.

O GT está encarregado de apresentar um relatório com suas propostas até o dia 30/8, a ser refe­ren­dado pelas unidades da Uni­camp e, depois, pelo Consu em novembro. As cotas serão implementadas na universidade a partir de 2019.

Na mesma data, o Conselho do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, decidiu aderir ao Sistema de Seleção Unificada (SISU). Com isso, uma parte das vagas do curso de Audiovisual será voltada para estudantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, utilizando a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como critério.

O CTR também decidiu suspender a prova de habilidade específica, existente para os cursos de artes da ECA.

Informativo nº 437