Vexame na Alesp? Sim, é fato. Chegaremos lá. Antes, um pequeno preâmbulo.

Decididamente, o reitor da USP, M.A. Zago, não é o que se pode chamar de pessoa cortês. O comportamento rude, não raramente grosseiro do reitor, é habitual nas reuniões do Conselho Universitário (Co), que preside com mão pesada. Grita e perde as estribeiras com representantes discentes, representantes dos funcionários técnico-administrativos e, nas reuniões mais recentes do Co, também com docentes, representantes de Congregações. É particularmente truculento com as mulheres

É bem verdade que não há registro de que tenha gritado com diretores e diretoras de unidades. Tudo bem. Estes são os únicos, na Universidade, que ele considera dignos do seu respeito, ao lado dos pró-reitores, do vice-reitor e dos membros do seu círculo mais fechado de assessores.

Pois bem. Dito isto, vamos em frente!

Tendo comparecido, em 8/8, a uma reunião da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação e Informação da Assembleia Legislativa (Alesp), o reitor precisou ouvir calado ao discurso do deputado Carlos Giannazi (PSOL), que estava na USP no fatídico 7/3. Nesta data, M.A. Zago jogou um pelotão de choque da Força Tática da Polícia Militar sobre manifestantes pacíficos e desarmados que protestavam contra a votação, no Co, do pacote fiscal denominado “Parâmetros de Sustentatibilidade Econômico-Financeira da USP”.

Gianazzi não apenas criticou, na presença do reitor da USP, o desmonte em curso na universidade, traçando uma analogia entre as práticas da Reitoria e as do governo Temer (“Ele criou na USP um laboratório para o que viria depois: a PEC 55, reforma trabalhista. O reitor foi mais realista que o rei neste aspecto”), como enfatizou a covarde agressão da PM aos manifestantes, solicitada por M.A. Zago. “Reitor Zago, V. Excelência está no mesmo nível do reitor Gama e Silva, que foi o reitor da Ditadura Militar”, assinalou o deputado.

Enquanto falava, Giannazi exibiu para os colegas deputados e demais presentes à audiência os artefatos que recolheu em 7/3 na Cidade Universitária: bala de borracha, bombas de gás e outros vestígios da selvageria do pelotão de choque da Força Tática.

Ao concluir sua exposição, o deputado anunciou que “presentearia” o reitor com o material recolhido, “como lembrança da sua gestão autoritária”. Levantou-se, dirigiu-se até a bancada em que M.A. Zago se encontrava e tentou entregar a este uma sacola plástica com os artefatos recolhidos. Então, surpresa! O reitor atirou tudo no chão, com violência, e começou a berrar com o deputado.

“Senhor deputado, eu presentearei de volta, eu presentearei de volta, de volta!”. Confira no vídeo o destempero do reitor. 

O vexame protagonizado por M.A. Zago na Alesp, diante de deputados estaduais, dá bem a medida de como ele se comporta com relação à comunidade universitária.