Em razão da representação que a Adusp protocolou no Ministério Público do Estado (MPE-SP), por meio da qual denuncia a ilegalidade dos instrumentos “Acordo de Cooperação” entre a empresa Mckinsey&Company e a USP, com anuência da organização civil Comunitas, e o “Termo de Doação” firmado entre a Comunitas e USP, com anuência da Mckinsey, na data de 16/3/2017 representantes da Adusp — professora Adriana Tufaile, professor Ciro Teixeira Correia e a advogada da entidade, Lara Lorena — reuniram-se com o promotor de justiça Daniel Serra Azul Guimarães, do Grupo de Atuação Especial de Educação (Geduc), no MPE-SP.

Na oportunidade, foram explicitadas ao promotor Guimarães as razões da representação entregue ao Geduc, apontando-se um contexto de ações que a Reitoria da USP praticou ao arrepio das normas do serviço público, excluindo do poder decisório os demais órgãos deliberativos da universidade.

Já em 12/12/2016 foi instaurado procedimento preparatório de inquérito civil (confira aqui a portaria). O promotor do Geduc demonstrou grande preocupação com a denúncia, partilhou sua visão de ocorrência de violação, pela Reitoria, dos princípios basilares da gestão democrática e da transparência, e informou que pedirá informações, documentos e explicações à USP.

A Adusp aguarda a provável instauração do inquérito civil e, caso confirmada, acompanhará e dará notícia do seu andamento.