Assembleia de posse da nova diretoria da Adusp 28/6/2013
Discurso da professora Heloisa Daruiz Borsari (presidente da gestão 2011-2013)

Quero começar agradecendo a presença de todos nesta assembleia  de posse da nova diretoria da Adusp, para o biênio 2013/2015, e convidando o presidente eleito, professor Ciro Correia, para compor a mesa. Convido também para compor a mesa conosco os representantes da Adunicamp, professor Paulo Centoducatte; do

DCE Livre da USP Alexandre Vanucchi Leme, a companheira Paula Kaufman; do STU, o companheiro Antonio Alves Neto; da Adunifesp,  professor Raul  Bonee Hernandes, da  Regional São Paulo do ANDES-SN  professora Bethânia Libânio de Araújo; da Reitoria da Usp , a Pró-Reitora de Graduação, professora Telma Zorn e o Vice-Reitor, professor Hélio Nogueira da Cruz.

Para preparar a fala de hoje, reli o discurso que fiz  na cerimônia de posse da diretoria que hoje encerra seu mandato, com o intuito de fazer um pequeno balanço da gestão. Não reluto em dizer que pouco avançamos na meta que, para mim, era central: a de reaproximar a Adusp dos nossos colegas, de torná-la mais presente, especialmente   no cotidiano dos docentes mais jovens. E por quê?

Penso que as causas são diversas: há dificuldades relacionadas ao modo como temos sido obrigados a desenvolver nosso trabalho na universidade, já  há alguns anos.  Agendas absolutamente lotadas, pressão contínua por publicações,  participação em diferentes e variadas comissões, toma-nos todo o tempo e ainda continuamos atrasados, sempre correndo atrás do prejuízo. Licenças-Prêmio, Férias, são muitas vezes usadas para  tentar colocar em dia esse atraso. Mas, logo em seguida, ficamos atrasados novamente. Há também a politica vigente há muitos  anos de individualizar todos os processos, de isolar-nos uns dos outros, de nos fazer crer que as dificuldades encontradas são de nossa exclusiva responsabilidade. Essa perspectiva, do absoluto individualismo, do descompromisso com o coletivo, parece estar se esgotando. Que o digam as mobilizações recentes em todo o país!

Além disso, na USP, os últimos 4 anos foram especialmente difíceis. Nesse período,  fomos obrigados a investir muito do nosso tempo para defender direitos básicos, duramente conquistados, e que, na gestão Rodas estiveram sob um ataque profundo: os  direitos de manifestação, expressão  e organização. Enfrentamos o complexo e difícil debate  sobre as diferentes concepções e  práticas,  presentes no interior dos  movimentos que atuam na USP. Marcamos nossas diferenças, com firmeza e serenidade  sem, contudo, abrir mão de defender estudantes, funcionários e docentes punidos pela Reitoria.

Lutamos contra a presença cotidiana da PM nos diversos campi da USP, explicitando a inadequação do convênio firmado entre a Universidade e a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. 

Tivemos intensa participação na campanha por uma Comissão da Verdade da USP, integrando o Fórum Aberto pela Democratização da USP. 

Superamos uma verdadeira e longa corrida de obstáculos imposta pela Reitoria para garantir a permanência da sede da Adusp no campus. Não aceitamos suas provocações e as muitas tentativas de criar impasses durante o processo da dita "negociação", que chegou ao limite de uma interpelação judicial de toda a diretoria em função de supostas declarações mencionadas em editorial do Jornal O Estado de São Paulo. Hoje, estamos reformando o espaço que a Reitoria acabou por nos ceder e,  até o final do ano, a sede da Adusp deve voltar para o campus. 

Apesar de todas estas dificuldades, acreditamos que a Adusp se fez mais presente em discussões importantes que ocorreram nestes dois últimos anos, em especial, sobre o processo de implementação da nova carreira, sobre o PIMESP, sobre a Saúde, entre outros. 

Foram dois anos de árdua resistência. Nesse período, a atuação dos diretores eleitos em 2011 foi fundamental, mas é também necessário ressaltar que teríamos feito muito menos se não pudéssemos contar  com um grupo maior de companheiros que  participam das nossas ( intermináveis) reuniões semanais, que integram diferentes Grupos de Trabalho e Comissões Internas, que representam a Adusp em várias atividades, especialmente  junto ao ANDES-SN. A eles, nosso sincero reconhecimento. 

Contamos também  com a equipe de funcionários da Adusp, da capital e das  subsedes regionais nos vários campi. Sem  a dedicação, o empenho, e o "vestir a camisa" da entidade, nosso trabalho seria impossível. A eles, em nome de toda a diretoria, nosso muito obrigada.

Vou gostar muito de voltar à sala de aula, de retomar minhas atribuições de professora,  no próximo semestre, primeiro porque estou com muita saudade dos estudantes e em segundo, pois tenho a certeza de que a nova diretoria dará continuidade a um trabalho de muitos anos, que não é desta gestão, mas já dura mais de um quarto de século. 

Agradeço a todos pela atenção e pela presença e, com muitísssima alegria, passo agora a palavra e a condução desta mesa, ao meu querido amigo, Ciro Correia, novo presidente da Adusp. Obrigada.