Daniel Garcia
Após a inauguração, familiares e amigos decalcam os nomes inscritos no Monumento

A Prefeitura de São Paulo inaugurou em 9/12, na véspera da divulgação do relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV), o Monumento em Homenagem aos Mortos e Desaparecidos Políticos, erguido no Parque do Ibirapuera. Projetado pelo arquiteto Ricardo Ohtake, o Monumento registra os nomes de mais de 400 vítimas da Ditadura Militar (1964-1985). Participaram da inauguração, além do prefeito Fernando Haddad e da ministra Ideli Salvatti (da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República), o senador Eduardo Suplicy, os membros da CNV José Carlos Dias e Maria Rita Kehl e o deputado Adriano Diogo, presidente da Comissão Estadual da Verdade.

Entre os muitos familiares de vítimas, compareceram a professora Vera Paiva (IP-USP), filha do ex-deputado federal Rubens Paiva, desaparecido em 1971, e Helenalda Nazareth, irmã de Helenira Rezende, aluna da USP desaparecida em 1972 no Araguaia.  

Daniel Garcia
Helenalda Nazareth e Laura Petit, familiares de vítimas da Ditadura Militar