HRAC desvinculação Hospital Universitário

  • Nova passeata em defesa do HU ataca Alckmin e Zago

    Foto: Daniel Garcia

    Moradores da região, membros do coletivo Butantã na Luta, funcionários do Hospital Universitário e estudantes em greve da Medicina e Enfermagem realizaram um novo ato contra o desmonte do HU no dia 7/12. A manifestação também contou com o apoio da Adusp, do Sintusp, do DCE e do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp).

  • Colapso do HU leva CA da Enfermagem a rasgar diplomas dos médicos Zago e Alckmin

     

    Um grupo de 35 estudantes da Escola de Enfermagem (EE) e um do curso de Terapia Ocupacional (TO-FM) montou acampamento e dormiu no Hospital Universitário (HU) na noite de 30/11 para 1º/12. Na manhã do dia 1º/12, dando continuidade ao chamado “Dormidaço”, eles realizaram um ato de protesto, durante o qual rasgaram e atearam fogo a cartolinas que representavam os diplomas de medicina do reitor M.A. Zago e do governador Geraldo Alckmin (PSDB), principais responsáveis pela situação de colapso do HU.

  • Co de 28/11 rejeita a contratação de servidores para o Hospital Universitário e reajuste salarial

    Em sessão extraordinária o Conselho Universitário da USP (Co) se reuniu no dia 28/11 para deliberar sobre os destaques à proposta de Diretrizes Orçamentárias apresentados na reunião anterior, de 21/11. Formuladas pela Comissão de Orçamento e Patrimônio (COP) e alinhadas à política de “ajuste fiscal” do reitor M.A. Zago, as diretrizes representam a etapa inicial de elaboração do Orçamento de 2018, que será votado na próxima reunião do Co, no dia 12/12.

  • Apoiado por moradores, protesto “abraça” HU contra desmonte

    foto: Daniel Garcia

    No dia 24/11, cerca de duas mil pessoas — estudantes, professores, funcionários e moradores da região do Butantã — participaram de uma passeata em defesa do Hospital Universitário e lhe deram um abraço simbólico, em resposta ao deliberado desmonte promovido pela Reitoria com a anuência do governador Geraldo Alckmin (PSDB). O ato foi convocado pelo Coletivo Butantã na Luta e recebeu apoio da Adusp, Sintusp, Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), Diretório Central dos Estudantes-Livre “Alexandre Vannucchi Leme”, além de vários centros acadêmicos, parlamentares e movimentos sociais, como o Fórum de Popular de Saúde.

  • Estudantes de Medicina e Enfermagem entram em greve por contratações no HU

    foto: Daniel Garcia

    Reunidos em assembleia no dia 13/11, os estudantes da Faculdade de Medicina (FMUSP) decretaram greve em defesa do Hospital Universitário (HU), a primeira greve estudantil do curso desde a Ditadura Militar (1964-1985). No dia seguinte, os estudantes da Escola de Enfermagem (EEUSP) aderiram à greve.

  • Debate de 19/10 desnorteia Vahan e projeta Sauer e Arminda na defesa do HU e creches

    foto: Daniel Garcia

    Realizado em 19/10, no auditório 5 da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA), às vésperas da consulta oficial (23/10) e a onze dias da eleição (30/10), o terceiro e último debate entre os reitoráveis organizado pela Comissão Eleitoral representou uma mudança de patamar na discussão entre as quatro chapas, bem como na relação entre os movimentos sociais e as candidaturas. A polarização cresceu ao longo das quase duas horas e meia de debate, culminando com um vibrante protesto em defesa do HU.

  • Pesquisa atesta a importância do HU para população da região do Butantã

    Foto: Daniel Garcia

    No dia 17/10, no Auditório da História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), o coletivo Butantã na Luta apresentou os resultados de uma pesquisa de opinião realizada com os moradores do Butantã a propósito da relação existente entre a população e o Hospital Universitário da USP (HU). Formado por moradores da região, o coletivo Butantã na Luta tem caráter suprapartidário e está organizando uma ampla campanha em defesa do HU.

  • No debate entre reitoráveis, alunos da FM exigem contratações já no HU e gritam “Fora, Vahan”

    Foto: Daniel Garcia

    Numeroso grupo de alunos da Faculdade de Medicina (FM), liderados pelo Centro Acadêmico Oswaldo Cruz (CAOC), compareceu ao debate oficial entre os reitoráveis realizado na manhã desta quinta-feira, 19/10, para exigir contratações imediatas e a reversão do processo de desmonte do Hospital Universitário (HU). Houve grande pressão sobre o candidato do situacionismo, vice-reitor afastado Vahan Agopyan, que precisou improvisar explicações sobre o hospital ao comentar o tema a pedido da mesa, recebeu vaias, e no encerramento teve de ouvir o coro “Fora, Vahan!”.

  • Alunos da Medicina farão protesto em defesa do HU durante debate de reitoráveis de 19/10

    Uma assembleia geral do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz (CAOC), da Faculdade de Medicina (FM), realizada em18/10 com a finalidade de discutir a situação do Hospital Universitário da USP (HU) e dos estágios da Pediatria (quinto ano), aprovou paralisação de um dia, a ocorrer nesta quinta feira, 19/10, para que os alunos possam comparecer ao debate oficial entre os reitoráveis previsto para ocorrer nesta mesma data, das 10 às 12 horas, no auditório 5 da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA).

    "A decisão pela paralisação se fez necessária para a mobilização dos alunos da Medicina diante do cenário de desmonte do Hospital Universitário da USP", diz nota do CAOC. "Sabemos, há muito, que o HU ocupa um papel importantíssimo tanto na assistência da população na região Oeste, quanto no ensino dos graduandos e pós graduandos dos cursos da área da saúde da USP.

  • Criado em 15 dias curso de Medicina na FOB

    foto: Aceituno Jr./Jornal da Cidade de Bauru

    Celebrado o convênio, em 1º de agosto, secretário David Uip e Reitoria deram informações contraditórias sobre o HRAC e novo HC de Bauru

    A reunião do Co de 4 de julho referendou a proposta de criação de um curso de Medicina na Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB), cujas 60 vagas serão oferecidas a partir de 2018. A decisão formaliza convênio entre a USP e a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, que estipula a desvinculação do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais de Bauru (HRAC), pertencente à USP e conhecido como “Centrinho”. Os termos do acordo, entretanto, não foram divulgados publicamente.

  • Marcha em defesa do HU mobiliza estudantes de diversos cursos da USP

  • Entidades oficiam ao secretário particular de Alckmin em busca de medidas urgentes contra crise do HU

    O Fórum Regional de Mulheres da Zona Oeste e outras quatro entidades -- Conselho de Saúde do Butantã, Conselho Participativo Municipal do Butantã,  Adusp e Sintusp -- encaminharam ofício para Maurício de Oliveira Pinterich, secretário particular do governador Geraldo Alckmin, pedindo "urgência" do governo estadual em relação a medidas para resolver a "grave crise enfrentada pelo Hospital Universitário (HU)". Leia abaixo o documento, protocolado em 8/6 pelo próprio Pinterich, que se comprometeu a encaminhar o assunto. 
     
  • Após reunião com Simesp, Sintusp e Adusp sobre desmonte e caos no HU, Promotoria da Saúde decide convocar reitor da USP

    O promotor Arthur Pinto Filho, do Ministério Público Estadual de São Paulo, tomou a iniciativa, nesta segunda-feira (6), de marcar uma reunião entre o fim desta semana e o início da próxima com representantes do Ministério da Saúde; das secretarias estadual e municipal de saúde; o reitor da Universidade de São Paulo (USP), Marco Antonio Zago; e membros das diretorias da Escola de Enfermagem e da Faculdade de Medicina no sentido de buscar soluções para a crise que afeta o hospital.

  • O desmonte programado do HU

  • Depois de transformar HRAC em “entidade associada”, Reitoria viola Estatuto da USP e nomeia superintendente

  • Comissão de estudos criada pelo próprio reitor recomenda, por consenso, “que o HU permaneça vinculado à USP”

    Decisão representa derrota para gestão M.A.Zago-V. Agopyan, que vinha tentando desmantelar e desvincular o hospital

    A comissão criada pela Portaria GR 965, de 11/9/2014, “com a incumbência de realizar estudos sobre a proposta de vinculação do Hospital Universitário [HU] à Secretaria Estadual de Saúde, que será analisada no Conselho Universitário [Co], propondo modificações ou estabelecendo as salvaguardas necessárias, em especial no que diz respeito à manutenção da qualidade do ensino e da pesquisa”, encaminhou suas conclusões ao reitor M.A. Zago em 7/7. A primeira delas é “que o HU permaneça vinculado à USP”, o que representa uma derrota do projeto inicial da Reitoria, de desvincular o hospital e transferir sua gestão para a Secretaria da Saúde. A comissão também defende que sejam garantidas as condições necessárias ao funcionamento do HU, “compatíveis com a qualidade da assistência, a segurança de pacientes e trabalhadores e a excelência do ensino”.

  • Mais mobilização contra a vetusta intransigência do Cruesp e a “austeridade” do governo Alckmin

    Resolução da Assembleia Geral da Adusp de 28/5/15

    A reunião entre Fórum das Seis e Cruesp de 25/5/15 terminou com uma proposta dos reitores altamente insuficiente no que se refere à preservação do poder aqui­si­tivo dos salários e das condições de vida de docentes e funcionários técnico-administrativos.

  • Relatório do Cremesp ao Ministério Público responsabiliza Zago por grave crise do HU

    Fiscalização relata desativação de 45 leitos e encontra 23 pacientes atendidos em maca

    Em relatório referente a vistoria realizada em 9/4/15, elaborado a pedido do promotor de justiça Arthur de Souza Pinto, do Ministério Público Estadual, o Conselho Regional de Medicina (Cremesp) responsabiliza o reitor da USP pela situação crítica em que se encontra o Hospital Universitário (HU). “Pelo menos 45 leitos foram desativados” em decorrência das medidas restritivas implantadas pela Reitoria, informa o relatório. A fiscalização do Cremesp deparou-se com 23 pacientes atendidos em maca, o que demonstra precarização do atendimento.

  • Faculdade de Ciências Farmacêuticas defende permanência do HU na USP

    A Congregação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF-USP) emitiu em 15/5 uma “Carta Aberta aos Alunos, Docentes e Funcionários da USP”, por meio da qual informa que mantém “uma parceria extremamente bem-sucedida com o Hospital Universitário [HU] da USP”, reconhece a “contribuição fundamental do HU na formação de profissionais competentes” e rejeita “qualquer medida que comprometa esta atuação”.

  • Alckmin ataca novamente as universidades estaduais

    Governador propõe na LDO-2016 repasse de “no máximo” 9,57% do ICMS-QPE! Na USP intransigência da Reitoria e a CERT voltando ao ataque

    Enquanto nos organizamos para pressionar o Conselho de Reitores (Cruesp) na reunião de negociação salarial agendada para 14/5/15, na sede do Cruesp (esquina das ruas Itapeva e Rocha), realizando na mesma data, hora e local um ato público por recomposição salarial pelo ICV-Dieese de maio/14 a abril/15, mais 3% de recuperaçao de perdas históricas, o governo Alckmim enviou à Assembleia Legislativa (Alesp) seu projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2016.