HRAC desvinculação Hospital Universitário

  • Alckmin ataca novamente as universidades estaduais

    Governador propõe na LDO-2016 repasse de “no máximo” 9,57% do ICMS-QPE! Na USP intransigência da Reitoria e a CERT voltando ao ataque

    Enquanto nos organizamos para pressionar o Conselho de Reitores (Cruesp) na reunião de negociação salarial agendada para 14/5/15, na sede do Cruesp (esquina das ruas Itapeva e Rocha), realizando na mesma data, hora e local um ato público por recomposição salarial pelo ICV-Dieese de maio/14 a abril/15, mais 3% de recuperaçao de perdas históricas, o governo Alckmim enviou à Assembleia Legislativa (Alesp) seu projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2016.

  • HU tem bons indicadores, segundo relatório do Proahsa

    Por iniciativa do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz (CAOC), da Faculdade de Medicina (FMUSP), no dia 28/4 foi apresentado um relatório do Programa de Altos Estudos em Administração Hospitalar e Sistemas de Saúde (Proahsa) sobre o Hospital Universitário (HU). A apresentação, iniciada às 12h30 no anfiteatro da Patologia da FMUSP, ficou a cargo do professor José Manoel de Camargo Teixeira e durou cerca de uma hora. Ao final houve um rápido debate com os presentes, entre os quais se encontravam José Otávio Auler, diretor da FMUSP, Waldyr Jorge, superintendente do HU, José Pinhata Otoch, diretor clínico, e outros gestores do HU.

  • Relação de ofícios da Adusp não respondidos pela Reitoria

     

    Ofício Adusp/data/destinatário(s) Assunto
    009, de 3/4/2014 - Ao reitor, c/c para diretora da EACH e superintendente da SEF Encaminha para conhecimento e providências cópia de ofício do comandante do Corpo de Bombeiros, o qual informa que a “edificação” (campus da EACH) se encontra irregular quanto ao regulamento contra incêndios. Não se tem notícia de que a situação tenha sido regularizada.
    011, de 11/4/2014 - Ao reitor Solicita cópia dos contratos firmados com instituições esportivas (clubes Corinthians, Pinheiros, Bandeirante e Paulistano). Solicita que se esclareça se a aprovação dos referidos contratos foi submetida à aprovação das instâncias competentes da USP.
    016, de 13/6/2014 - Ao reitor Solicita informações sobre o anúncio feito pelo reitor na sessão do Co de 3/6/2014 (e posteriormente em carta de 21/7/2014 dirigida a todos os docentes), de sindicância quanto à aprovação do processo de carreira dos funcionários técnico administrativos e da progressão horizontal dos docentes e sobre auditoria dos gastos da gestão anterior.
    019, de 10/7/2014 – Ao Serviço de Informação ao Cidadão (SIC-USP) Solicita o detalhamento “item a item” dos recursos próprios da USP e das obras que foram suspensas (com os respectivos órgãos decisórios e justificativas), conforme constam do balanço orçamentário para 2014, distribuído na reunião do Co de 25/2/2014.
    024, de 24/7/2014 – Ao coordenador da Codage Solicita reunião para tratar do corte de ponto dos funcionários do DRH durante a greve.
    025, de 31/7/2014 – Ao pró-reitor de Pesquisa Encaminha Carta Aberta dos docentes da USP ao pró-reitor de Pesquisa. A carta, aprovada em assembleia em 28/7/2014, critica o uso do correio eletrônico institucional pela PRP de modo indevido e em desacordo com as normas vigentes da USP.
    031 e 032, de 8/9/2014 - Aos pró-reitores de Graduação e de Pós-Graduação Solicita a elaboração de calendários para o pós-greve que garantissem, em todas as disciplinas, cursos e unidades de ensino, o respeito à reposição com qualidade das atividades acadêmicas afetadas pela greve.
    036, de 29/10/2014 - Ao reitor Dá ciência ao reitor do empenho e insucesso em se conseguir agendar um debate com um representante do GT-Atividade Docente, bem como da ausência de notícias públicas sobre as atividades desse grupo de trabalho. Solicita informações a respeito e reitera o convite para realização de um debate com o GT.
    042, de 16/12/2014 - Ao reitor Solicita a cessação do uso político indevido dos recursos eletrônicos da USP como modo privilegiado de acesso ao corpo da universidade, para emissão de juízo ou opinião política por parte dos detentores de cargos da Reitoria. Para registrar a cessação deste tipo de uso indevido, reivindica a divulgação, pela Reitoria, de um texto de autoria da Comissão Permanente de Mobilização da Adusp, elaborado em resposta a um artigo do professor José de Souza Martins enviado, pela PRP, a todo o corpo da universidade no dia 3/12/2014.
    001, de 15/1/2015 - Ao reitor Contesta o parecer da CLR sobre a legalidade da desvinculação do HRAC e reitera a solicitação de que a matéria seja incluída na pauta da reunião seguinte do Co, com base em manifestação em anexo da Assessoria Jurídica da Adusp.
    005 a 008, de 29/4/2015 – Ao reitor e aos pró-reitores de Graduação, de Pós-Graduação e de Pesquisa Solicita toda a documentação relativa a convênios firmados entre a USP e/ou unidades de ensino e pesquisa, de um lado, e fundações privadas autodeclaradas “de apoio”, de outro lado.
    009, de 29/4/2015 Solicita toda a documentação disponível na PRCEU relativa a convênios firmados entre a USP e/ou unidades de ensino e pesquisa, de um lado, e fundações privadas autodeclaradas “de apoio”, de outro lado. Caso único, foi prontamente respondido pela pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária. Contudo, a Adusp considerou insuficiente a resposta e lhe dirigiu nova correspondência, solicitando mais explicações (Ofício Adusp 10/15, de 6/5/15).

     

  • Após um ano de descaso, Saúde da USP publica os critérios para cadastramento de dependentes

    O Diário Oficial do Estado publicou, em 19/3/2015, a Resolução GR-7.043, de 17/3, que dispõe sobre os Serviços Médicos e Odontológicos próprios no âmbito da Universidade (Hospital Universitário, Clínica Odontológica da Superintendência de Assistência Social e Unidades Básicas de Assistência à Saúde) e garante “direito à utilização” desses serviços médicos e hospitalares a docentes ativos e aposentados, a funcionários técnico-administrativos idem e a estudantes, bem como aos respectivos dependentes.

  • Adusp, Sintusp e Simesp pedem ao MPE inquérito civil para investigar ações da Reitoria contra HU e HRAC

  • Para Waldyr Jorge, PIDV causou “perda de quadros qualificados” e foi “equívoco”

  • Passeata em defesa do HU atravessa o Butantã e chega à Reitoria em pleno Dia Mundial da Saúde

  • Comunidade do Butantã reage ao colapso do HU e fará marcha à Reitoria para exigir contratações

  • Novo teto salarial e PIDV causam fechamento de leitos no HU e colocam pacientes em risco, diz vice-diretor

  • “Contem comigo para o que vocês precisarem”, declara FHC em visita ao Hospital Universitário

  • Deliberações da Assembleia Geral de 12/03/2015

    1 – Campanha de data base 2015:

    • quanto à reivindicação salarial foi aprovada, como indicativa para o Fórum das Seis, a proposta de reposição salarial na data-base para docentes e servidores técnico-administrativos das três universidades e do Centro Paula Souza, correspondente à inflação do período maio/2014 a abril/2015, de acordo com o ICV do Dieese. Nova negociação em setembro/outubro 2015.

    • Vem chumbo grosso!

      Em 23/2 teve início o primeiro semestre letivo de 2015. A julgar pela conjuntura política e econômica da sociedade e da universidade neste começo de aulas, parece sensato preparar-se não para chuvas regulares, mas para um período de chumbo grosso e total insensibilidade da dinastia que dirige a USP.

    • Co ignora petição e deixa HRAC fora da pauta

      A reunião de 3/3 do Conselho Universitário (Co) foi iniciada com a manifestação do reitor M.A. Zago, que leu trechos do documento de fundação da USP em 1934, reafirmando a sua atualidade. Em seguida apresentou um balanço de seu primeiro ano de gestão, salientando suas ações no sentido de promover “democratização” (sic) e “transparência” (sic). A EACH foi citada a respeito da interdição. O reitor apresentou na sequência uma avaliação (pessimista) das perspectivas financeiras da universidade e reafirmou a necessidade de cortes de despesas. Concluiu comentando o Plano de Metas para 2015.

    • Os embates políticos de 2015

      Lutas por democracia, transparência, salário, preservação do HU e do HRAC e contra os ataques da Cert devem marcar o próximo ano...

      As conquistas políticas, organizativas e salariais da greve de 118 dias realizada pelas estaduais paulistas deixaram marcas importantes, mas ainda há batalhas a travar, que deverão ocorrer em 2015.

    • Como vai a saúde do HU?

      Pronto Atendimento do pessoal da USP e ambulatório da Ortopedia foram fechados e Obstetrícia funciona em regime especial

      Aproximam-se as festas de final de ano, mas não há motivo para comemorações para quem acompanha o embate em torno do Hospital Universitário da USP (HU). Na realidade, o que se vê, com grande preocupação, podem ser prenúncios de mais um desmonte, programado e progressivo, de um serviço público de qualidade reconhecida.

    • Revogação da Portaria 6.545/13 deixa dependentes sem atendimento médico

      Os serviços de saúde da universidade estão deixando de prestar atendimento médico a dependentes de docentes, funcionários técnico-administrativos e estudan­tes. “Precisei levar meu filho de seis anos para um procedimento de emergência ao HU e eles se negaram a atender, alegando que para que ele fosse considerado meu dependente, teria que tê-lo cadastrado no momento de seu nascimento”, relatou à Adusp uma docente do ICB. “Causou-me extrema estranheza essa informação, posto que jamais recebi, nos 20 anos de USP, qualquer informe ou solicitação de que esse procedimento era necessário. Meu filho consta no sistema Marte como meu dependente e recebo auxílio-creche, sem ter jamais solicitado”.

    • Inclusão do HRAC na pauta do Co

      A Adusp oficiou em 12/11 à Secretaria Geral da USP, encaminhando as assinaturas de 21% de membros do Conselho Universitário favoráveis a que seja incluída, na pauta da próxima reunião, apreciação da petição da Adusp para que seja anulada a desvinculação do HRAC, decidida irregularmente em 26/8.

    • Documentos e ofícios

    • Câmara Municipal de Bauru aprova moções do Fórum da Seis em defesa do “Centrinho”

      Por entender que “o Centrinho foi o berço de pesquisas que transformaram positivamente a vida de milhares de pessoas, que recebia e ainda recebe pacientes, estudantes, profissionais de diferentes Estados do Brasil e de outros países em busca da troca de experiência, da excelência e do tratamento conceituado”, a Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participa­ti­va da Câmara Municipal de Bauru aprovou moção de apelo ao Conselho Universitário (Co) da USP, instando esse colegiado, “enérgica e enfaticamente”, a rever a modificação realizada em 26/8 no artigo 8º de seu Regimento Geral e assim manter o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC), o chamado “Centrinho”, como órgão complementar da universidade.

    • Adusp pede ao Conselho Universitário que a desvinculação do HRAC seja anulada, porque não obteve quórum devido

      A Adusp protocolou na Reitoria, em 29/9, petição ao Conselho Universitário (Co) para que decrete a nulidade da decisão, tomada em 26/8/14, de desvinculação do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC), de Bauru. A petição seguiu em anexo ao ofício 035/2014, encaminhado ao secretário-geral da USP, professor Ignacio Poveda.