alt
Prof. Aziz Ab'Saber

O professor Aziz Ab'Saber completa 25 anos de aposentadoria em 2008. Nesse tempo, não deixou de freqüentar a universidade (“Vou todo dia à USP”) e de tomar partido em suas lutas. Além disso, Ab’Saber se manteve filiado à Adusp. “Tenho grande admiração pela Adusp, desde muitos e muitos anos. Quando eu me aposentei, achei que era meu dever continuar filiado”, conta ele, que lecionou no Departamento de Geografia e é professor emérito da FFLCH.

Aziz Ab’Saber afirmou que considera importante o registro das lutas pela educação feito pela entidade: “Acho que muitas das publicações que a Adusp faz honram muito o corpo docente da USP. O que fica escrito é a coisa mais importante que ocorre. A gente pode falar oralmente cobrando coisas, mas o que fica registrado é muito importante”.

José Carlos Bruni, professor do Departamento de Sociologia da FFLCH até 1997, quando se aposentou, cita outro motivo para continuar ligado à entidade da categoria: “Eu sempre achei que um órgão de representação é muito importante. Estar filiado é importante porque mesmo como professores aposentados a gente tem problemas eventuais de diferentes ordens: trabalhista, jurídica, de saúde”. Bruni diz que, depois que se aposentou, precisou pedir orientações à Adusp sobre atendimento de saúde e que a ajuda prestada “foi muito boa”. Por isso, afirma: “Não vou me desligar, não”. Em 2006, o professor passou a integrar o Conselho Editorial da Revista Adusp.

 

Matéria publicada no Informativo n° 254