No dia 13/5 foi realizado o ato de lançamento da greve dos funcionários das escolas técnicas estaduais (ETECs) e faculdades de tecnologia (Fatecs), pertencentes ao Centro Paula Souza (Ceeteps). Cerca de 500 pessoas — funcionários, professores e alunos vindos de várias cidades — participaram da atividade, na Fatec São Paulo. O Ceeteps possui 198 ETECs e 49 Fatecs. Já aderiram à greve cerca de 70 unidades.

Neusa Santana, presidente do Sinteps, sindicato que representa a categoria e faz parte do Fórum das Seis, lembrou que o governo vem impondo uma política de destruição do Ceeteps, com acelerado processo de expansão, sem contrapartida de recursos: “Nossas escolas não conseguem contratar novos professores, pois poucos se sujeitam a receber essa miséria”. “Causa indignação saber que este governo tem a ousadia de pagar R$ 10 a hora aula nas ETECs e R$ 18 nas Fatecs, bem como um piso para os funcionários na casa do salário mínimo”, denuncia moção de apoio enviada pelo Fórum das Seis.

Na véspera, o governador Alckmin anunciou reajuste de 11%, o que desagradou totalmente a categoria, que reivindica 82,7% para docentes e 97,5% para funcionários. O deputado Carlos Gianazzi (PSOL) informou que apresentará emendas assim que o projeto de reajuste chegar à Alesp. “Os trabalhadores e estudantes do Ceeteps vão se fazer ouvir, pois são lutadores e farão história com essa greve”, afirmou o deputado federal Ivan Valente (PSOL).

 

Informativo n° 325