Estudantes e professores do Centro Universitário da Fundação Santo André realizaram uma passeata, em 22/5 (foto), para exigir que o reitor Odair Bermelho deixe o cargo. Ele é considerado o principal responsável pelo violento episódio de 14/9, quando a Força Tática da Polícia Militar desalojou 300 alunos que ocupavam a reitoria da instituição (Informativo Adusp 244). A atuação dos PMs foi tão grave que o oficial que comandou a ação foi afastado para investigação. Na ocasião, os estudantes protestavam contra o aumento das mensalidades, que chegaria a 126% em alguns cursos de humanidades.

Estava prevista para 28/9 reunião do Conselho Diretor da instituição. A pedido de Bermelho, o promotor Airton Grazzioli, da Promotoria de Fundações da Capital, cedeu uma sala do Fórum João Mendes para a reunião do Conselho Diretor. Questionado, o promotor informou a uma professora que o reitor alegou que os estudantes estavam ameaçando “jogar uma bomba” na reunião.

Está circulando um abaixo-assinado entre professores universitários, apoiando a luta de professores e estudantes e manifestando repúdio à atitude da Reitoria. De acordo com o texto, que recebeu a adesão de vários docentes da USP, “o tempo do arbítrio, quando questões sociais eram tratadas como caso de polícia, já passou”.

 

Matéria publicada no Informativo n° 245