1 - AG Ordinária: foi aprovado por unanimidade o “Relatório de Atividades da Diretoria da Adusp – maio/2014 a abril/2015”.

2 - AG Extraordinária:

  • Campanha de Data Base 2015: foi aprovado remeter os indicativos do Fórum das Seis de paralisação, caminhada e ato público no dia 14/5 (dia de reunião de negociação com o Cruesp) para avaliação de Assembleias Setoriais que devem anteceder a nova Assembleia Geral marcada para o dia 7/5, quinta-feira, às 17h, Auditório Adma Jafet (IFUSP);
  • Foi aprovada a delegação da Adusp para o 7º Conad Extraordinário do Andes-SN (tema: Contribuições do Andes-SN para o 2º Congresso da CSP-Conlutas): delegada: Kimi Tomizaki (FE); observadores: Rosangela Sarteschi (Letras/FFLCH) e Everaldo de Oliveira Andrade (História/FFLCH);
  • Quanto ao item "Democratização", várias manifestações enfatizaram a importância de aprofundarmos o debate sobre a questão com vistas a melhor configurar e ampliar o respaldo da categoria em defesa da proposta de constituição de uma estatuinte democrática que delibere sobre mudanças estatutárias na USP;
  • Foram endossadas as seguintes Nota e Moção:

1) “O Conselho de Representantes da Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo - Adusp manifesta seu repúdio à atitude autoritária do Diretor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, Prof. Dr. Sérgio Adorno, em não liberar os 13 delegados da unidade eleitos para participar do 6º Congresso Estatutário dos Funcionários da USP, a realizar-se nos dias 27, 28, 29 e 30 de abril de 2015.

São Paulo, 28 de abril de 2015.
Conselho de Representantes da Adusp

 

2) "A assembleia setorial de professores da FFLCH, reunida na quarta-feira, dia 29 de abril de 2015, avaliou a situação posta a partir do indeferimento, por parte da Direção da Faculdade, do pedido de liberação de 13 representantes dos funcionários técnico-administrativos para participarem do VI Congresso Estatutário dos Funcionários da USP. 

A assembleia considera que a decisão da Direção, que não registra antecedentes nesta Faculdade, atenta contra a liberdade de organização dos trabalhadores e não contribui para um ambiente de convivência, favorecendo, pelo contrário, conflitos e enfrentamentos desnecessários.

Esta assembleia se manifesta veementemente em defesa do exercício pleno dos direitos de organização sindical, conclama a Direção a reverter integralmente sua decisão antidemocrática, e informa que não aceitará qualquer medida punitiva em relação aos trabalhadores da Faculdade. "