Um comunicado enviado pela Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP) aos segurados do Plano Bradesco Saúde, tratando da “migração” deste plano, por exigência da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), “para a modalidade Coletivo por Adesão”, causou impacto e grande inquietação no corpo docente da USP.

A migração está prevista para 1o de julho de 2019, “quando a atual apólice será extinta e a nova será imediatamente iniciada”, e a “única ação requerida antes desta data será a anuência e efetiva manifestação de adesão de cada beneficiário titular”. A Adusp recebeu muitas mensagens de associados que manifestaram dúvidas e questionamentos referentes à majoração dos valores cobrados pelo Plano.

A FUSP anunciou que as “características do benefício serão mantidas, ou seja, a seguradora permanecerá sendo a Bradesco Saúde, não haverá alterações em relação à carência, cobertura ou rede credenciada e o reajuste também permanecerá anual”. Porém, ao mesmo tempo informou que caberá à administradora de benefícios Qualicorp “gerir os contratos e dar suporte aos beneficiários”, e deixou muitas questões em aberto.

“Venho solicitar sua orientação para o devido esclarecimento e ressarcimento das parcelas do seguro de saúde, caso as cobranças efetuadas diretamente do meu salário tenham sido indevidas”, diz mensagem encaminhada à Adusp por uma docente da FFLCH. “Como se poderá comprovar pelo envio dos holerites abaixo, entre maio de 2018 e abril de 2019, o meu plano subiu de R$ 1.253,00 para R$ 2.184,16 — estranhamente com variações mensais”.

Outro colega relatou que houve um aumento de 11%. “É muita desfaçatez o que aconteceu”, afirmou. “Parece que eles não podiam fazer o que faziam, mas ninguém sabia. Quando a ANS disse que não podia, jogaram a batata p’ro Bradesco, que trouxe a Qualicorp”.

Esclarecimentos solicitados ao presidente da FUSP

De modo a atender aos docentes associados ao Plano de Saúde Bradesco, o presidente da Adusp, professor Rodrigo Ricupero, encaminhou ofício ao presidente da FUSP, professor Antonio Figueira, em que pede os seguintes esclarecimentos:

  • “A informação que circula afirma a “descontinuidade” do plano de saúde FUSP. Assim considerando, o que ocorrerá com quem não tiver interesse em migrar?”
  • “Considerando a informação de que serão mantidas as mesmas condições de carência, cobertura e rede credenciada, quais os novos valores de planos oferecidos equiparados e os índices de reajustes anuais e por faixa etária?”
  • “A opção de adesão ao novo contrato altera o enquadramento legal de proteção ao consumidor que aderir a esse novo contrato em relação aos contratos antigos?”
  • Qual o papel e atividade que passará a exercer a FUSP nesse novo contrato com a Qualicorp?

O ofício solicita ainda à FUSP que remeta uma cópia do contrato e/ou convênio então em vigor entre a fundação privada e a Bradesco Saúde, bem como o novo contrato firmado com a Qualicorp. A Adusp atualizará as informações a respeito sempre que possível, e continuará atenta às mensagens que forem encaminhadas por associadas e associados.