Carta Aberta ao Governador do Estado de São Paulo

Reconhecendo a importância e a legitimidade da luta dos estudantes pela democratização da USP, e reafirmando suas posições contrárias a soluções autoritárias no tratamento de ações de natureza política, a Assembleia da Adusp de 29/11/2011 decidiu reiterar os termos da seguinte carta aberta ao Governador do Estado:

Daniel Garcia

A Assembleia da Adusp- Seção Sindical do Andes-SN, atenta ao que vem ocorrendo desde a entrada da Polícia Militar do Estado (PM-SP) no campus Butantã da USP, dirige-se publicamente ao Governador do Estado, sr. Geraldo Alckmin, para manifestar o que segue.

As várias e violentas ações policiais que têm ocorrido no campus da USP resultam de uma política que substitui o necessário diálogo democrático pelo tratamento de conflitos por meio do uso da força bruta, modo de agir totalmente incompatível em qualquer espaço, em especial em um ambiente universitário, onde aprendemos e ensinamos a cultivar a força dos argumentos, base para o convívio civilizado. Se, em curto prazo, pode parecer que o caminho autoritário resolve conflitos, em um prazo mais longo, as nefastas consequências dessa prática levam a situações incompatíveis com a democracia e a civilidade.

O recente convênio entre a USP e a Secretaria de Segurança Pública, permitindo o policiamento ostensivo do campus Butantã pela PM-SP, em decisão tomada num momento de forte comoção, logo após a morte de um estudante, vítima de assalto, não resolve o problema de segurança, que exige soluções mais adequadas e compatíveis com o que se espera de um locus essencialmente educativo, plural e pressupostamente democrático.

O entendimento da Assembleia da Adusp é o de que os incidentes ocorridos no campus Butantã da USP também são de responsabilidade do Senhor Governador do Estado.

Segurança e democracia não se excluem, mas o autoritarismo está intrinsecamente ligado à violência

Assembléia Geral da Adusp
29/11/2011

 

Informativo n° 339