O caderno de textos do 40º Congresso do Andes-Sindicato Nacional já está disponível online. O Congresso terá lugar em Porto Alegre (RS), de 27 de março a 1º de abril, tendo como mote central “A vida acima dos lucros: Andes-SN, quarenta anos de luta!”.

A publicação tem 343 páginas. Quatorze dos textos dizem respeito ao tema I, “Conjuntura e Movimento Docente”; doze ao tema II, “Planos de Lutas dos Setores”; vinte ao tema III, “Plano Geral de Lutas”; e onze ao tema IV, “Questões organizativas e financeiras”, num total de 57 textos que pautarão o debate no 40º Congresso.

Também fazem parte do caderno de textos uma breve explicação sobre a metodologia de trabalho a ser adotada no Congresso, uma proposta de cronograma e pauta — que envolve inicialmente a realização de grupos mistos e, depois, de plenárias temáticas — e a proposta de regimento, que devem ser aprovadas na plenária de instalação.

“Os grupos mistos têm como objetivo fazer com que todo(a)s o(a)s participantes, reunido(a)s em pequenos agrupamentos, discutam os temas pautados no evento, de forma a facilitar o amadurecimento das posições trazidas das assembleias gerais de cada Seção Sindical, e apontar as propostas que serão submetidas à deliberação nas plenárias”, diz o documento. “O resultado dos encaminhamentos dos grupos deve ser consolidado, uma vez que todos os grupos debatem todos os temas”. Assim, caberá às plenárias temáticas a consolidação das propostas.

“O 40º Congresso do Andes-SN se afirmará com as marcas da luta de um sindicato que, em meio a um dos mais difíceis e desafiantes momentos da história do Brasil, resiste e organiza a categoria para enfrentar o desmonte das políticas públicas. São dois anos de pandemia, ainda em curso, em uma conjuntura retrógrada aos interesses coletivos e históricos da classe trabalhadora”, afirma a introdução.

“Enfrentamos um governo genocida e pró fascista, negacionista, que espraia o fundamentalismo religioso e político, com o aprofundamento do racismo, capacitismo, machismo, lgbtqia+fobia, miséria, destruição socioambiental. Os ataques aos serviços e servidore(a)s público(a)s no conjunto da obra de todo o desmonte das políticas públicas são parte do projeto do capital para privatização do Estado”, prossegue.

Trata-se de cenário que traz novas contradições para a categoria e o debate tanto do retorno presencial como do projeto de Educação Pública historicamente construído e defendido pelo Sindicato Nacional. “Em meio a esses desafios o Andes-SN permaneceu em luta, nas lutas, na construção unitária da resistência! Estamos nas ruas desde sempre e mesmo com a pandemia em seu pior momento participamos de todas as mobilizações pelo Fora Bolsonaro, em defesa da vida, contra a Reforma Administrativa, contra as intervenções e, adentramos 2022 na luta pela reposição salarial, pela revogação da EC 95 e contra a PEC 32”.

Após a divulgação do caderno de textos, seções sindicais e sindicalizado(a)s ainda podem enviar contribuições para compor o caderno anexo no período de 16 de fevereiro a 14 de março de 2022. Mais informações sobre o evento podem ser encontradas na página do Andes-SN.

Adusp define delegação para participar do Congresso

Na última quarta-feira (23/2), a Assembleia Geral da Adusp elegeu delegadas e delegados para participar do evento em Porto Alegre. Representando a Diretoria da Adusp foi indicada Annie Hsiou (FFCLRP). As professoras e professores que se disponibilizaram e tiveram seus nomes aprovados são André Simões (EACH), Angela Hutchison (EACH), Celso Oliveira (FZEA), Eliel Orenha (FOB), Everaldo Andrade (FFLCH), Marcos Carvalho (EACH), Vanessa Monte (FFLCH), Patricia Monticelli (FFCLRP) e Evandro Lobão (FEUSP).

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.