A Adusp promoveu nesta quinta-feira (10/12) um debate em formato virtual sobre progressão horizontal e carreira docente na USP. De acordo com o presidente da entidade, professor Rodrigo Ricupero, a intenção do debate era trazer opiniões e pontos de vista de pessoas e de grupos que têm se manifestado sobre esses temas para que se possa avaliar o processo de progressão atualmente em curso na universidade.

Participaram da discussão o professor Cícero Romão de Araújo, docente da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e membro da Câmara de Avaliação Institucional (CAI); o professor Marcilio Alves, docente da Escola Politécnica e membro da Câmara de Atividades Docentes (CAD); a professora Michele Schultz Ramos, docente da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) e vice-presidenta da Adusp; a professora Patrícia Izar, docente do Instituto de Psicologia (IP) e integrante da Rede Não Cala!; e o professor Rodrigo Bissacot, docente do Instituto de Matemática e Estatística (IME) e integrante do Fórum Docentes USP 2009-2018.

Muitos números, tabelas e gráficos foram levantados no debate. Para permitir uma análise mais detida desses dados, o Informativo Adusp publica as apresentações exibidas na atividade. 

Marcilio Alves fez uma retrospectiva do processo de avaliação docente e expôs, entre outros dados, números da evolução salarial e do comprometimento da USP com custeio e pessoal.

Patrícia Izar abordou as desigualdades de gênero na docência e nos processos de avaliação. Rodrigo Bissacot trouxe dados comparativos entre os vencimentos na USP e nas universidades federais e apresentou os resultados de um questionário sobre progressão respondido por 527 docentes da USP entre outubro e novembro.

Cícero Romão abordou o processo de progressão de maneira geral e algumas das discussões no âmbito da CAI, e Michele Schultz traçou um histórico das questões envolvendo carreira e titulação e reforçou a defesa da Adusp de valorização dos níveis iniciais da carreira docente.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.