Em circular datada desta segunda-feira (17/8), o pró-reitor de Pós-Graduação, Carlos Gilberto Carlotti Jr., comunicou que está autorizada a prorrogação, por até doze meses da sua data limite, de todos os prazos relativos à “apresentação de proficiência em línguas, inscrições/realizações de exames de qualificação, depósitos e defesas de dissertação e teses dos alunos matriculados na data de hoje”. Ainda segundo a circular, alunas e alunos que já tenham optado pela prorrogação de seis meses, já autorizada por circulares anteriores da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG), “poderão complementar o tempo de prorrogação até o máximo de doze meses”.

A opção de prorrogação e sua duração devem constar de manifestação conjunta do aluno e do orientador e dependem de aprovação pela comissão coordenadora do respectivo programa de pós-graduação (CCP), “considerando os impactos da prorrogação tanto no andamento do trabalho do aluno(a) quanto no planejamento do programa”, e devem ser enviadas à PRPG.

Como justificativa da medida, Carlotti Jr. elenca sete considerandos, entre os quais “a duração prolongada e imprevista da pandemia da Covid-19 no Estado de São Paulo”, “a relevância da relação orientador(a) e aluno(a)”, “a instabilidade vivida atualmente pelos alunos e alunas, incluindo suas vidas pessoais e familiares”, “a volta às atividades de pesquisa de forma gradual e progressiva”.

No dia 4/8, Adusp, Rede Não Cala! e Associação dos Pós Graduandos Helenira “Preta” Resende (APG-Capital) enviaram carta à PRPG na qual solicitavam ampliação dos prazos para alunas e alunos “que são mães e pais de crianças fortemente dependentes ou que estejam cuidando de idosa(o)s ou doentes”, lembrando que a prorrogação de seis meses já concedida poderia “não ser suficiente para aquela(e)s que estão exercendo a parentalidade em tempo integral”.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.