A mobilização das funcionárias, dos sindicatos, de centros acadêmicos e de servidora(e)s da USP impediu a demissão das trabalhadoras terceirizadas do Grupo Interativa que prestam serviços de limpeza na Faculdade de Odontologia (FO) da USP, na Cidade Universitária.

Na última sexta-feira (22/1), seis trabalhadoras receberam aviso prévio da empresa, que havia anunciado a intenção de demitir um total de 20 funcionárias até a terça-feira (26/1). Mas, nesta data, as trabalhadoras realizaram uma paralisação em protesto contra as demissões, recebendo apoio de servidora(e)s da USP e de integrantes de centros acadêmicos dos cursos de Letras, Educação e Oceanografia. A indignação das funcionárias estava expressa em cartazes pendurados nos corredores da FO, que diziam, por exemplo: “Nunca tive direito à quarentena e agora a Interativa quer me demitir”.

No mesmo dia foi realizada uma reunião de negociação entra a direção da empresa e uma comissão das funcionárias, com a participação do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco) e da Assistência Administrativa da FO, que se manifestou contrária às demissões. A negociação resultou num acordo pelo qual serão dispensadas 11 trabalhadoras que já haviam manifestado desejo de desligamento da empresa, e não as 20 anunciadas anteriormente.

O Grupo Interativa alegou que possui um contrato com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo que se encerra em fevereiro e que precisaria manter os cerca de 200 trabalhadores e trabalhadores vinculados a ele por conta da estabilidade garantida até maio deste ano. Por essa razão, iria remanejar essas equipes e dispensar os funcionários que prestam serviços em outros locais, como a FO.

Na avaliação do Sintusp, a paralisação e o acordo obtido foram “uma importante demonstração da força da luta e da união em defesa dos empregos”. O Informativo Adusp procurou o Grupo Interativa e a FO por meio de suas assessorias de comunicação, mas não recebeu retorno até o fechamento desta matéria.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.