A Adusp encaminhou nesta sexta-feira (13/5) à Reitoria da USP e ao professor Wilson Aparecido Costa de Amorim, diretor do Departamento de Recursos Humanos (DRH), um ofício no qual requer providências quanto à ocorrência de fraudes que envolvem descontos indevidos nos vencimentos de docentes, a título de empréstimos consignados jamais pedidos ou autorizados.

Dois dos casos relatados à entidade têm como vítimas docentes da Faculdade de Educação (FE), cujos holerites referentes ao mês de abril apresentam descontos de R$ 2.351,43 e de R$ 2.809,00.

“A despeito da providência já realizada da lavratura de boletim de ocorrência para cada caso, é mister que a Universidade informe e realize diligências imediatas”, diz o ofício da Adusp. 

Invocando os artigos 17 e seguintes da Lei 13.709/2018, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a entidade requer a apuração sobre o vazamento de dados pessoais, que redundou em fraude e que expõe a(o)s docentes representada(o)s pelo sindicato a este e outros riscos; orientações sobre como será realizado o ressarcimento de valores subtraídos; e esclarecimentos sobre a atuação da empresa Zetrasoft, gestora da plataforma eConsig no Sistema MarteWeb.

A Adusp também questiona a universidade sobre que medidas estão sendo adotadas para evitar o vazamento de dados pessoais e as medidas específicas, procedimentos e garantias de segurança para checagem por parte da(o)s docentes de pedidos de empréstimo consignado.

A entidade recomenda atenção da(o)s docentes aos seus registros e solicita a comunicação de denúncias de casos do gênero.

Na próxima semana, o Informativo Adusp publicará reportagem detalhada sobre o assunto.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.