O Conselho Universitário (Co) aprovou, em sessão extraordinária realizada nesta quinta-feira (10/11), a implantação de um novo sistema de ingresso de estudantes aos cursos de graduação via Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

A partir deste ano, valendo já para a(o)s ingressantes de 2023, a(o)s candidata(o)s serão convocados diretamente pela Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) a partir das notas que obtiverem nas provas do ENEM.

A nova forma de ingresso se chamará ENEM-USP e substituirá o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) do Ministério da Educação (MEC), no qual as instituições públicas de ensino superior cadastram vagas para quem participa do ENEM.

A proposta foi encaminhada pela Pró-Reitoria de Graduação e já havia sido aprovada pelo Conselho de Graduação (CoG) no dia 20/10.

De acordo com o pró-reitor de Graduação, Aluisio Cotrim Segurado, o objetivo da alteração é possibilitar que a(o) estudante aprovada(o) via ENEM possa efetuar a matrícula juntamente com o ingressante pela Fuvest, sem depender do calendário do SiSU.

A professora Vanessa Martins do Monte, vice-presidenta da Comissão de Graduação da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e 1ª secretária da Adusp, considera que o motivo principal para a mudança é evitar a entrada tardia de ingressantes. “Como o processo era controlado pelo calendário do SiSU, havia várias chamadas e nós tínhamos estudantes ingressando em momentos diferentes do semestre, o que acaba gerando uma situação complicada”, disse ao Informativo Adusp.

“Vamos continuar utilizando o ENEM, mas inserindo a nota em novo modelo que permitirá maior agilidade e abrangência no processo de chamada e de matrícula dos novos estudantes”, afirmou na reunião o reitor Carlos Gilberto Carlotti Junior, de acordo com matéria publicada pelo Jornal da USP.

A Fuvest será responsável pela sistematização das inscrições, pela classificação de acordo com os critérios definidos pelos cursos e pela convocação da(o)s candidata(o)s. Um edital específico com o calendário e orientações quanto à inscrição no sistema será divulgado em breve.

Pelas informações oficiais da USP, do total de 59.267 aluna(o)s de graduação matriculada(o)s na atualidade, 20.231 ingressaram em vagas destinadas às políticas de ações afirmativas, o que equivale a 34%.

Representação discente consegue aprovar destaques

Em manifestação publicada em suas mídias sociais, o DCE-Livre “Alexandre Vannucchi Leme” afirmou que o debate sobre o tema foi levado ao Co, ao CoG e a suas respectivas câmaras de forma muito abrupta, sem tempo para a realização de debates mais aprofundados.

Na sessão do Co, a representação discente apresentou essa ponderação e reivindicou que “os processos decisórios da universidade passem por um processo amplo e democrático de construção”.

A(o)s representantes discentes da graduação e pós-graduação apresentaram quatro destaques: construção de uma comissão de acompanhamento do ENEM-USP, com participação estudantil; reavaliação do ENEM-USP ao longo de 2023 para analisar se os objetivos foram cumpridos, com retorno ao SiSU em caso negativo; isenção total de taxa de inscrição; e ampla divulgação nacional da modalidade para que nenhum(a) estudante seja prejudicado(a).

O reitor aceitou as propostas e a representação discente votou favoravelmente à resolução, “apesar do método atropelado da Reitoria”.

ENEM recebe menor número de inscrições em 17 anos

Levantamento publicado pela Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (11/11) mostra que em 2022, último ano do governo Jair Bolsonaro, o ENEM recebeu o menor número de inscrições em 17 anos: são 3,4 milhões de estudantes, contra 3,8 milhões em 2018, último ano do governo Temer.

“A edição do ano passado teve a menor proporção de inscritos pretos, pardos e indígenas dos últimos dez anos. Isso rompeu uma tendência de aumento na participação desses públicos. O resultado é uma menor possibilidade de inclusão de jovens pobres no ensino superior”, registra o jornal.

A oferta de vagas nas universidades oferecidas para quem faz o ENEM também caiu. Em 2018, o SiSU oferecia 239 mil vagas, quase 20 mil a mais do que no primeiro semestre de 2022.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.