Realizada de forma virtual nesta terça-feira (17/8), a Assembleia Geral da Adusp decidiu aprovar a paralisação das atividades da categoria de modo a permitir a participação dos atos e mobilizações previstos para esta quarta-feira 18/8, que é dia nacional de luta contra a “reforma administrativa”  (PEC 32/2020) e também, em São Paulo, de luta contra o PLC 26/2021 do governador João Doria (PSDB), que ataca igualmente o funcionalismo público. Dia de luta, ainda, em defesa da educação, ciência e tecnologia públicas.
 
Além da plenária virtual dos 3 setores das universidades estaduais paulistas e do Centro Paula Souza prevista para as 10h, a programação inclui atos públicos em Piracicaba (9h), São Paulo (15h, na Praça da República), Bauru (15h30, carreata com concentração na Praça da Paz), São Carlos (17h, Mercadão) e Ribeirão Preto (17h, Esplanada do Teatro Dom Pedro II).
 
A Assembleia Geral aprovou ainda paralisação na USP no dia 23/8, em protesto contra o retorno compulsório de docentes e servidora(e)s determinado pela Portaria GR 7.670/2021, de 12/8/21, sem a necessária discussão das condições necessárias para garantia de retorno seguro. Decidiu solicitar às Congregações que conduzam amplo debate, com participação dos 3 setores, sobre o retorno às atividades presenciais quando as condições sanitárias permitirem. E ainda:
 
  • Atualização do documento-base para construção dos Planos Sanitários e Educacionais considerando a Portaria 7.670 e estudos de colegas que demonstram riscos de contágio existentes no transporte público, especialmente pela variante Delta, entre outros.
  • Elaboração de documentos a serem enviados ao reitor e ao Conselho Universitário: 1) um que contenha tom de “J’accuse”, apontando a responsabilidade por cada adoecimento e morte; 2) outro que traga uma série de questionamentos da exequibilidade do retorno, considerando as condições e cuidados que a pandemia ainda exige.
  • Apoio à moção de repúdio do Sintusp à constituição de novo GT (“Comissão Assessora”) de forma não democrática, sem consultar as entidades representativas das categorias.
 
No tocante à campanha salarial e data-base, a Assembleia Geral deliberou manter o indicativo de greve até que o Cruesp agende nova reunião do GT salarial. Quanto ao Programa da Adusp para a USP, determinou à Diretoria que prepare uma proposta de atualização a ser debatida nas unidades e agende uma assembleia extraordinária para aprovação do texto final.
 
Em outra decisão, ratificou o questionamento da Plenária dos 3 Setores de Ribeirão Preto de 16/8 à Congregação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) relativamente à concessão de título de Professor Emérito ao ex-reitor M. A. Zago.
 
Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.