­­Assistimos nas últimas horas ao desfecho catastrófico do governo Bolsonaro-Mourão no que se refere à gestão da educação brasileira. O corte das bolsas da Capes neste final de ano desperta justa revolta do(a)s estudantes atingidos por este ato ultrajante. Depois de diversas ameaças ocorridas antes das eleições (com recuos oportunistas visto o evidente desgaste político da medida), o contingenciamento das verbas do Ministério da Educação cristaliza o descalabro administrativo e o desprezo pela educação e pela ciência por parte deste governo.
 
Neste quadro, a Diretoria da Adusp manifesta total solidariedade aos e às bolsistas, cujas condições de sobrevivência já estão, certamente, sendo comprometidas em razão deste corte. Além disso, as pesquisas em desenvolvimento são afetadas e podem ser interrompidas. Assim, suas reivindicações junto aos órgãos dirigentes de nossa universidade visando atenuar a gravidade do problema são mais do que justificáveis. Neste sentido, consideramos que a Reitoria da USP deva neste momento de crise aguda intervir, assegurando o pagamento das bolsas enquanto o MEC e a Capes estiverem com seus recursos bloqueados.
 
Enfim, nunca é demais denunciar o desgoverno Bolsonaro-Mourão por seus ataques à democracia, aos direitos sociais, ao meio ambiente, bem como evidentemente à educação e à ciência. Nossa bandeira “derrotar Bolsonaro e seus aliados” permanece desfraldada, antevendo igualmente grandes embates nos próximos anos junto ao governo do estado de São Paulo.
 
A Diretoria da Adusp
Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.