Nota da Diretoria da Adusp

No último dia 9 de março a Polícia Federal prendeu um professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP) e uma fisioterapeuta, “investigados”, segundo nota da Polícia Federal, “por “fraudes na concessão e recebimento de bolsas de estudos para pesquisas mantidas com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-CNPq”.

A nota divulgada pela PF em 9/3 também menciona suspeitas quanto à “ocorrência de falsificação de documentos, superfaturamento na aquisição de equipamentos para laboratórios daquela universidade e lavagem de dinheiro”, e acrescenta que os investigados “poderão responder pelos crimes previstos nos art. 312, 288, 299” do Código Penal “e art. 1º da Lei nº 9.613/98, cujas penas, somadas, ultrapassam 15 anos de reclusão”.

A Diretoria da Adusp tem procurado obter maiores informações, contudo, até o momento os nomes dos acusados não foram divulgados e o caso corre em segredo de justiça. A Diretoria da Adusp considera o episódio preocupante e está acompanhando o caso em busca de maiores esclarecimentos, que assim que obtidos serão divulgados.

A Diretoria da Adusp

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.