A Adusp Regional Piracicaba promoverá, em parceria com o Conselho Municipal de Segurança Alimentar (Comsea) de Piracicaba e o Grupo de Pesquisa em Agriculturas Emergentes e Alternativas (Agremal), a atividade intitulada “Dia Mundial da Alimentação: perspectivas de segurança e soberania alimentar para os próximos anos no Brasil”, que acontecerá em 6/10, a partir das 14 horas, no Pavilhão de Ciências Humanas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP). 

Valendo-se do lema “não deixe ninguém para trás”, a Organização das Nações Unidas (ONU) destaca para o Dia Mundial da Alimentação a urgência de um olhar mais atencioso com as pessoas que vivenciam o problema de acesso a alimentos nutritivos e de insegurança alimentar, que são cada vez mais graves por várias razões, incluindo a pandemia de Covid-19, inúmeros conflitos militares, mudanças climáticas, crescimento das desigualdades, aumento de preços dos produtos alimentares e ampliação das tensões internacionais. 

No Brasil, o agravamento da insegurança alimentar também se explica pela má gestão da crise sanitária, sem precedentes, além do desmonte do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), a começar pelo Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). Hoje são mais de 33 milhões de pessoas vivendo em situação de fome no país, como aponta a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan, 2022).Neste quadro e na véspera de início de novo governo federal, o debate sobre o problema é mais do que oportuno, permitindo evidenciar perspectivas para a segurança e soberania alimentares para o próximo período. 

No dia 6/10, a mesa de abertura contará com a participação de Claudia Renata Novolette, presidente da mesa diretora do Comsea de Piracicaba, Paulo Eduardo Moruzzi Marques, diretor regional da Adusp e coordenador do GP Agremal, e Sílvia Helena Galvão de Miranda, chefe do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Esalq e coordenadora do grupo de trabalho da USP “Políticas Públicas de Combate à Insegurança Alimentar e à Fome”.

A mesa seguinte será composta por Francisco Menezes, coordenador do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional e ex-presidente do Consea, Eunice Pimenta, dirigente estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e Nancy Thame, secretária municipal de Agricultura de Piracicaba (a confirmar).

Além da colaboração do Comsea e do Agremal, o evento conta com o apoio do grupo de extensão da Esalq “Comercialização Justa e Cultura Alimentar”, conhecido pela sigla Cajan, e do movimento Tô Aqui.

Caso pretenda obter o certificado de participação, inscreva-se aqui.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.