O coordenador do Fórum das Seis, professor Paulo Centoducatte, enviou ofício ao reitor Vahan Agopyan, atual presidente do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), solicitando-lhe que a agende uma reunião na próxima segunda-feira (4/10), data em que os sindicatos e diretórios estudantis da USP, Unesp, Unicamp e Centro Paula Souza realizarão manifestação presencial diante da Reitoria da USP, na Cidade Universitária do Butantã.

“Na expectativa da continuidade do diálogo entre as partes, em prol dos interesses da comunidade acadêmica, dirigimo-nos a V.S.ª para reivindicar o agendamento de uma reunião entre Fórum das Seis e o presidente do Cruesp, Prof. Dr. Vahan Agopyan, na segunda-feira, 4/10/2021, às 11h”, diz o ofício. “Tal solicitação se coaduna com a oportunidade da presença de representações das entidades do Fórum das Seis na USP, em 4/10/2021, em manifestação pela reabertura das negociações entre as partes”.

Por fim, Centoducatte diz confiar no atendimento à solicitação, “certos da sensibilidade dos senhores reitores” frente às questões em jogo na data-base das categorias. Na prática, a negociação salarial encontra-se suspensa por decisão unilateral dos reitores, que, de modo truculento e intransigente, anunciaram “reajuste zero” no decorrer da última reunião entre as partes, em 15/7.

A Assembleia Geral da Adusp de 15/9 decidiu manter o indicativo de greve por reajuste salarial, aprovou a proposta de construção de um calendário de mobilização — em discussão conjunta entre o Comando dos 3 Setores da USP e o Fórum das Seis — e sugeriu a realização do ato presencial de 4/10, com os devidos cuidados sanitários.

“Enquanto os salários, que receberam ínfimas correções nos últimos anos, agora se veem em queda livre, vítimas de uma inflação que já está na casa dos 10% ao ano, o caixa das universidades está em alta”, informa o Boletim do Fórum das Seis de 30/9. “A previsão inicial da Secretaria da Fazenda para a Quota-Parte do Estado (QPE) da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 2021 era de R$ 118 bilhões. A expectativa, agora, é que esse número seja superado, e muito, para algo entre R$ 132 bilhões e R$ 135 bilhões, como anunciado pelo Fórum das Seis desde o inicio da nossa data-base e, agora, confirmado pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo”.

Por outro lado, o comprometimento médio dos recursos das universidades com folha de pagamento segue em queda: em setembro, ficou em 69,99% (68,59% na Unesp, 69,47% na USP e 72,66% na Unicamp), o menor desde o advento da autonomia. Esses indicadores revelam que existe margem financeira mais que suficiente para que o Cruesp conceda o reajuste reivindicado pelo Fórum das Seis.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.