O Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) finalmente agendou para o dia 10/6, às 10h00, a primeira reunião com o Fórum das Seis para abrir a negociação entre as partes relativa à data-base de 2021. Desse modo, a rodada inicial de negociações só ocorrerá mais de dois meses após a entrega da Pauta Unificada de Reivindicações, protocolada em 6/4 — uma demora inédita.
 
Antes do anúncio feito pelo Cruesp, a coordenação do Fórum das Seis já havia marcado reunião para sexta-feira (4/6), e uma Assembleia Geral da Adusp foi convocada para terça-feira 8/6 com a finalidade de debater a proposta de indicativo de greve frente, precisamente, ao deliberado silêncio dos reitores.
 
É bem provável que o atual presidente do Cruesp, o reitor Vahan Agopyan, tenha chegado à conclusão de que uma eventual greve às vésperas da sucessão na Reitoria da USP poderia criar novos problemas ao seu presumível candidato, o vice-reitor Antonio Carlos Hernandes.
 
As categorias estão reivindicando reajuste imediato de 8% e um plano de médio prazo de recomposição das perdas sofridas desde maio de 2012, além de uma série de medidas capazes de propiciar a construção participativa e democrática de um Plano Sanitário e Educacional que garanta retorno seguro às atividades presenciais, quando possível. Confira aqui a pauta completa.